set 152010
Depois do almoço a Lua sempre dorme, depois de ter nos atrapalhado a manhã inteira.

Depois do almoço a Lua sempre dorme. De manhã ela não deixa a gente trabalhar.

Hoje em dia, o que a gente mais tem tentado é ficar longe do stress. Aqui na zona rural de Guapiaçu é uma espécie de esconderijo da civilização sem sair muito da redondeza de São José do Rio Preto. Ainda estamos teimando em ficar sem celular, mas a internet 3G é sagrada.

O dia começa bem cedo, antes mesmo das 6 horas da manhã (para os vizinhos). A gente acorda às 6h20. O dia acaba cedo também, quando fica tudo escuro a gente fica só dentro da casa e na varanda.

A hora mais comprida do dia é a do calor intenso e da preguiça depois do almoço que dura até umas 15h. Estamos com um planejamento diário de coisas para serem feitas aqui na chácara. Hoje, por exemplo, fizemos o nosso segundo ‘canteiro elaborado’ com alface e agrião.

Esta é uma árvore bem alta, na frente da casa. As flores apareceram recentemente.

Esta é uma árvore bem alta, na frente da casa. As flores são recentes.

Uma boa podada nas árvores e as flores vêm com mais força e beleza.

Uma boa podada nas árvores e as flores vêm com mais força e beleza.

Algumas flores duram somente 1 dia. Depois elas murcham e caem.

Algumas flores duram somente 1 dia. Depois elas murcham e caem.

Estamos tentando nivelar o solo também, nas partes onduladas de terra, pela chácara. O maior problema é a terra dura e seca que fica muito difícil de remover e a Lua no meio do caminho sempre. O que estamos fazendo é jogando água com a mangueira e tirando aos poucos as camadas de cima. Um dia a gente chega na metade da chácara.

O Franky tinha um joguinho no computador que ele cultivava uma fazendinha virtual. Era só apertar os botões e a árvore nascia, aí você arrastava para dentro dos gramados alguns animais, árvores frutíferas, casinhas e outras bobeiras. Às vezes a gente tem vontade de ser fácil assim. Se pudéssemos mover algumas coisas só para ver como ficaria e depois colocar de volta no lugar seria uma boa.

Morar em chácara e cuidar de plantas deve ser ótimo para desenvolver a memória. Tudo o que a gente faz terá algum resultado algum dia, depois de um tempão. Talvez nem funcione. É um verdadeiro jogo de estratégia e paciência. O bom é que cenário da chácara muda todos os dias. Assim a gente não cai na rotina.

E cadê a chuva que nunca mais resolveu aparecer?

5 Respostas to “Vida mansa na zona rural”

  1. Andre disse:

    Fiquei sabendo que a umidade por ai alcancou niveis de deserto um tempinho atras. Horror! Horror!

  2. Fabiana Umetsu disse:

    Gostei da foto da Lua! Muito boa!

  3. Manuel Gonçalves disse:

    Oi, alguém sabe o nome da planta/árvore da flor azul.
    “Uma boa podada nas árvores e as flores vêm com mais força e beleza”
    Abraços
    Manuel

Deixe um comentário

(campo obrigatório)

(campo obrigatório)

Arquivo – Blog Viagens