News Stories

  • De Kailua a São José do Rio Preto

    Última foto tirada no Havaí, em Honolulu, indo para o aeroporto internacional.

    A nossa última semana foi que nem final de novela. Tudo acontecendo ao mesmo tempo, muita expectativa e dando tudo certo no final.

    Bem, resumindo, porque não tive tempo nem de postar no blog tamanha a correria, entregamos o studio, recebemos de volta o nosso depósito do aluguel, zeramos a nossa conta no Bank of Hawaii, alugamos carro, fizemos comprinhas em Honolulu e começamos a jornada rumo à São José do Rio Preto.

    De Kailua fomos para Honolulu bater pernas até dar a hora de devolvermos o carro na locadora de veículos e pegarmos o primeiro voo. De Honolulu fomos parar em Los Angeles pela American Airlines, um avião ‘caindo aos pedaços’, bem velho. Mais de 5 horas de voo e eles não serviram nem uma bala. Já sabíamos disso, fomos preparado com ‘marmitas orientais’ do Shirokiya. Os voos domésticos dos Estados Unidos são os piores, como sempre.

    De Los Angeles, ‘voltamos’ para San Francisco pela American Airlines. Vai entender estas conexões. É tudo pelo melhor preço. De San Francisco pegamos o voo da companhia aérea LAN. Nunca tínhamos viajado pela LAN, achamos o serviço excelente apesar da confusão de lugares (reservamos os acentos juntos, mas vieram separados no bilhete, eles mudaram depois).

    A LAN, assim como outras companhias da América Latina como a Avianca e TAM, têm aviões novos, um ótimo serviço de bordo e refeições decentes. Tivemos uma parada em Lima, no Peru (de 1 hora) para abastecimento. E de Lima voamos até o aeroporto de Guarulhos.

    A viagem foi tão longa que perdemos a noção de dia e noite, fuso horário e tudo mais. Não sabemos nem ao certo quanto tempo durou a viagem toda, só sei que conseguimos chegar inteiros no Brasil. Todos os voos foram pontuais, nenhum imprevisto, a bagagem estava toda lá em Guarulhos, tudo certinho.

    De Guarulhos pegamos o ônibus do Airport Service para a Barra Funda (33 reais cada). E finalmente da Barra Funda pegamos o ônibus da San Raphael para São José do Rio Preto. Olha, passear no Havaí não é ir até a esquina não. É ‘a’ viagem. Ou ‘a’ milhagem.

    Estamos ainda totalmente fora dos eixos, dormindo de dia e acordando no meio da noite. Estamos tentando resolver os problemas básicos como internet, celular e carro para podermos ficar de vez na chácara em Guapiaçu. Nosso mundo ainda está de ponta cabeça.

  • A Terapia da Viagem

    O plano é ficar o mínimo de tempo na poluição de São Paulo e ir direto para as plumerias do Hawaii.

    O Hawaii todo perfumado nos aguarda, depois de 2 ônibus e 3 voos até lá.

    Descobrir qual a melhor forma de chegarmos ao aeroporto internacional de Guarulhos está sendo mais difícil do que comprar as passagens para o Havaí que inclui sair de São Paulo, passar pelo México, Los Angeles e chegar em Honolulu.

    Não são muitos ônibus que fazem a linha São José do Rio Preto – São Paulo. Acho que apenas 3 empresas. Vamos de Cometa, o mais barato e com website que funciona melhor.

    O mais preocupante é chegar no terminal Barra Funda e chegar a tempo no aeroporto. Não queremos ficar a vida toda esperando a hora de embarcar no aeroporto, mas também não queremos correria de última hora e risco de perder o voo.

    Pesquisando na internet descobrimos que o Google Maps não funciona a função ‘rota’ (tranportes públicos) para chegarmos até o aeroporto de Guarulhos (GRU). Na verdade nós descobrimos da vez passada, só queríamos testar se havia mudado alguma coisa. Nada.

    Existe uma empresa chamada Pássaro Marrom que parece que começou a fazer a linha Barra Funda – Guarulhos. Eu mandei um email de contato para descobrir os horários e preços porque o formulário de pesquisa não funciona nem no Chrome nem no Explorer.

    Existe o serviço da EMTU, tranporte público, que deve fazer este serviço também, mas eu achei muito confusa a maneira em que são explicados os horários. Mandei email também. A impressão que dá é que as companhias de transportes brasileiras não estão nada preparadas ainda para os serviços online.

    É por isso que eu gosto de viagens longas, digo, de ficar um bom tempo no destino. Porque aí tem tempo de se recuperar do stress da ida e enfrentar todo o ‘sobe-desce’ da volta. E desta vez vamos somente com bagagens de mão na ida para facilitar, mas na volta a gente traz tudo desta vez. Nada de jogar tudo fora como foi da última vez.

    Não vejo a hora de enterrar os dedos dos pés nas areias finas e brancas de Waikiki. Ver o movimento colorido do dia, o pôr-do-sol e os fogos de artifícios sobre as ondas noturnas do paraíso havaiano.

  • Passagens aéreas para o Hawaii

    Os preços de passagens aéreas vão sempre depender da época e da pesquisa.

    Em dezembro estaremos no Havaí. Ficaremos 6 meses resolvendo 'algumas coisinhas'.

    Os preços de passagens aéreas vão sempre depender da época e da pesquisa feita. Comparando os preços das passagens aéreas que a gente pagou para vir de Maui (ilha havaiana) no início de junho para São Paulo, a gente pagou 51.08 dólares a mais agora, para ir de São Paulo para Honolulu (ilha Oahu, no Havaí).

    Em junho pagamos, para 2 pessoas, o total de $467.00 de Maui (cidade de Kahului) para Los Angeles pela United Airlines. E de Los Angeles a São Paulo foi $914.20 pela Avianca Airlines.

    Agora para dezembro, pagamos (também para 2 pessoas) $1.090.68 de São Paulo para Los Angeles pela Aeromexico Airline e $341.60 de Los Angeles a Honolulu (ilha Oahu, Hawaii) pela Hawaiian Airlines.

    Da vez passada a gente reservou tudo pelo site da Expedia, onde geralmente os preços são melhores. Desta vez foi pelo site da Orbitz (São Paulo para Los Angeles) e diretamente no site da Hawaiain Airlines (de LA para Honolulu).

    O que eu pude perceber também é que os preços para Los Angeles, pelo menos nestes sites de reservas internacionais, não são mais caros que para Miami e Orlando, por exemplo, que são geralmente os roteiros mais baratos, saindo do Brasil.

    Percebi também que sair do Brasil para outro país é geralmente mais caro do que vir dos Estados Unidos, por exemplo, para o Brasil. Na época, em junho, os preços estavam altíssimos por causa da temporada. Mas mesmo assim tinham mais opções de voos e preços. Agora, mesmo com 2 meses de antecedência, pagamos mais caro.

    Estes preços, é claro, são as combinações mais baratas de várias pesquisas. Dependendo da pesquisa, de voos do Brasil para o Havaí direto, sai muito mais caro, o dobro ou triplo do preço. Vale a pena pesquisar sobre as datas também. Às vezes, pela diferença de um dia, o preço vai lá nas alturas.

    Não é tão caro, mas também não é barato. E tem a volta também, que será mais ou menos em 6 meses. No caso de não sabermos exatamente a data de volta é melhor comprarmos somente as passagens de ida. É mais flexível e menos estressante. Além dos preços não mudarem tanto.

  • CityWalk em Los Angeles

    O CityWalk é sempre lindo, um lugar para andar pelas lojas e passar o dia.

    O CityWalk é sempre lindo, um lugar para andar pelas lojas e passar o dia em Hollywood.

    No último dia aqui em Los Angeles resolvemos passear no CityWalk, em Hollywood. Na verdade foi para matar saudades de Orlando, porque o CityWalk da Universal Studios daqui é bem parecido com o de Orlando, na Flórida (a gente até morou por perto durante alguns anos lá).

    Basicamente as lojas são no mesmo estilo, com algumas variações. É sempre um passeio agradável durante todo o dia. Os restaurantes temáticos mais famosos são o Hard Rock Cafe e o Bubba Gump.

    O CityWalk é gratuito, eles oferecem até um ônibus para subir a “rampa” do “Universal City“. Tivemos sorte, estava tendo várias atrações de rua como malabarismos, shows, concertos musicais, artistas de rua e outros. É o evento StreetFest que vai até o dia 13 de junho.

    Estava tendo vários shows e atrações de rua, parte do evento StreetFest no CityWalk.

    Estava tendo vários shows e atrações de rua, evento StreetFest no CityWalk.

    Malabaristas, músicos, artistas, comediantes e outros espetáculos pelas ruas.

    Malabaristas, músicos, artistas, comediantes e outros espetáculos pelas ruas.

    Um dos artistas de rua, comediante, estava falando sobre as diferentes raças e me apontou de longe, referindo-se aos filipinos. Acho que tomei sol demais no Havaí.

    A única coisa é que a cerveja, por exemplo, é cara nos restaurantes e bares. Não é um lugar barato para sentar e ficar o dia todo comendo e bebendo à vontade sem gastar bastante. Tudo é mais caro do que os shoppings no geral. É assim em Orlando também.

    Enfeites enormes, luzes, propagandas e outras coisas interessantes no cenário do CityWalk.

    Painéis enormes, luzes, letreiros e outras coisas interessantes no CityWalk.

    Loja do Jamba Juice, onde a gente tomava sucos naturais no Havaí.

    Loja do Jamba Juice, onde a gente tomava sucos naturais no Havaí.

    CityFood é a "praça de alimentação" do CityWalk com todos os tipos de comidas.

    CityFood é a "praça de alimentação" do CityWalk com todos os tipos de comidas.

    Não deixem de experimentar o sorvete da Yogurtland, é bom e barato.

    Não deixem de experimentar o sorvete da Yogurtland, é bom e barato.

    Estamos nos preparando para encarar o frio de São Paulo. Vai ser um contraste após tanto tempo de calor nas praias do Havaí. Vi no site da previsão do tempo que está fazendo 10 graus Celsius à noite por lá. Nem me lembro mais o que é passar frio.

    Para dizer a verdade, nem sabemos como serão os nossos próximos dias e as próximas viagens. O plano é tirarmos umas “férias das férias” e torcer para esquentar logo por lá. Mesmo assim vou estar pesquisando sobre o norte e nordeste do Brasil (se tivermos que escapar do inverno paulista).

  • A Calçada da Fama, em Hollywood

    Hollywood em Los Angeles, uma das principais atrações turísticas.

    Hollywood e a Calçada da Fama em Los Angeles, uma das principais atrações turísticas.

    A principal atração turística de Los Angeles é, sem dúvida, a famosa Calçada da Fama em Hollywood. Uma das paradas da estação do Metro é bem no meio da Calçada da Fama, muito fácil de chegar.

    As estrelas com os nomes dos famosos na calçada são muitas, você vai seguindo e seguindo e nunca acabam. Tem dos dois lados da avenida (Hollywood Blvd) e você não consegue mais parar de ler os nomes. Além das estrelas, as atrações são diversas em todos os lugares da avenida.

    Arnold Schwarzenegger e a famosa frase "I'll be back" na Calçada da Fama.

    Arnold Schwarzenegger e a famosa frase "I'll be back" na Calçada da Fama.

    São tantos nomes de artistas famosos espalhados pela Calçada da Fama.

    São mais ou menos 2 mil e quinhentas estrelas na Calçada da Fama.

    Shrek também estava lá (apesar do último filme ter sido bem meia-boca).

    Shrek também estava lá (apesar do último filme ter sido bem meia-boca).

    Lojas de presentes e lembranças de Los Angeles com estátuas do Oscar.

    Lojas de presentes e lembranças de Los Angeles com estátuas do Oscar.

    Hollywood lembra bem a Broadway em Nova Iorque. São prédios com propagandas chamativas e enormes, cartazes dos espetáculos como Rei Leão (Lion King), lojas de lembranças, ônibus de tours pela cidade, vendedores nas ruas, restaurantes e uma porção de lojas.

    O negócio é que a gente planejou só “dar uma passadinha” por lá e acabamos ficando o dia inteiro. Tem um shopping enorme também, bem no meio de Hollywood. Muito agradável, com várias lojas interessantes, lanchonetes e coisas para ver.

    Turistas sorridentes tirando foto com a Marilyn Monroe no museu de cera.

    Turistas sorridentes tirando foto com a Marilyn Monroe no museu de cera.

    Até o Franky teve seu minuto de fama ao lado do Samuel Jackson.

    Até o Franky teve seu minuto de fama ao lado do Samuel Jackson.

    Este sósia do Rambo é o máximo! Fala em espanhol em tudo!

    Este sósia do Rambo é o máximo! Fala espanhol e tudo!

    Muita gente tirando fotos de tudo, os turistas fazem filas para tirar fotos das estrelas na Calçada da Fama. Além de tudo isso ainda tem o museu de cera Madame Tussauds e outros museus temáticos, teatros e casas de shows.

    De lá, da avenida principal, dá para ver os letreiros brancos famosos de Hollywood. Como a gente ficou com preguiça de andar até lá, tiramos fotos bem de longe. Ah, são só letreiros…

  • Turismo em Los Angeles

    Estas são as placas de "cidades irmãs" de Los Angeles. Salvador, na Bahia, é uma delas.

    Estas são as placas das "cidades irmãs" de Los Angeles. Salvador, na Bahia, é uma delas.

    A melhor forma de conhecer Los Angeles é seguir os destinos das linhas do Metro, o trem que passa pelas principais atrações turísticas da cidade. A passagem custa $1.25, o passe válido para o dia todo custa $5.

    Hoje fizemos as linhas Gold, Blue e Green, parando em vários lugares. Conhecemos o Olvera Street, uma feira de rua de espanos, com artesanatos, tacos e alguns restaurantes. A comunidade latina daqui de Los Angeles é enorme, maior ainda do que na Flórida. Muitos lugares só se fala em espanhol, os anúncios muitas vezes nem são em inglês.

    No centro de Los Angeles, fora a comunidade latina, existe também a Little Tokyo, bairro japonês no estilo Praça da Liberdade de São Paulo e o bairro chinês, o Chinatown, menor do que imaginávamos.

    Feira latina com comidas, bebidas, artesanatos e muita gente falando em espanhol.

    Feira latina com comidas, bebidas, artesanatos e muita gente falando em espanhol.

    As ruas da Little Tokyo são decoradas com leques japoneses.

    As ruas da Little Tokyo são decoradas com leques japoneses.

    Painel com desenhos japoneses na Little Tokyo.

    Painel com desenhos japoneses na Little Tokyo.

    Encontramos algumas flores iguais do Havaí em algumas ruas de LA.

    Encontramos algumas flores iguais do Havaí em algumas ruas de LA.

    Visitamos também o Toy District, considerado turístico, mas nada interessante. Uma mistura de camelôs do Paraguai com os de São Paulo. Um monte de lojas vendendo produtos baratos da China.

    Aproveitamos o dia para conhecermos Long Beach, a praia famosa daqui de Los Angeles. A extensão de areia é realmente grande. A água é meio escura, no estilo Ubatuba, no estado de São Paulo. Como a gente veio das praias do Havaí não conseguimos ficar tão empolgados com as praias daqui. Achamos meio suja, com muito lixo espalhados pelas areias.

    Anúncio antigo enorme na parede do centro de Los Angeles.

    Anúncio antigo e enorme na parede do centro de Los Angeles.

    Long Beach, a praia de Los Angeles com uma grande extensão de areia.

    Long Beach, a praia de Los Angeles com uma grande extensão de areia.

    Mesmo sendo final de semana, o trânsito em cidade grande nunca para.

    Mesmo sendo final de semana, o trânsito em cidade grande nunca para.

    No geral achamos Los Angeles bem parecida com Orlando, talvez Miami. O estilo da cidade, as lojas, atrações turísticas e as pessoas. Muitos imigrantes, turistas e classe baixa. Vimos muitos mendigos nas ruas também.

    Eu não sei se é tudo poluição, mas o ar no centro da cidade de Los Angeles é sempre nebuloso. A gente vê tudo embaçado de longe.

    Amanhã será o dia dos famosos. Pretendemos pegar as linhas red e orange e conhecermos o glamour da Calçada da Fama, Hollywood e outras celebridades.

  • Los Angeles, California

    Aeroporto de Los Angeles (LAX). O voo de Maui durou 5 horas e meia.

    Aeroporto de Los Angeles (LAX). O voo de Maui (Havaí) durou 5 horas e meia.

    Chegamos então em uma das cidades mais famosas dos Estados Unidos: Los Angeles. O hotel que escolhemos é o Ramada Plaza Hotel El Segundo, em uma cidade pequena ao lado do aeroporto de Los Angeles (LAX), Hawthorne.

    A escolha foi obviamente pelo preço. O hotel é bom, digno das 2 estrelas e meia, o quarto é grande, cama king size e limpo. O preço da diária é em torno de 55 a 60 dólares, um dos hotéis mais baratos na categoria decente.

    Ramada Plaza Hotel, uma ótima opção, próximo ao aeroporto.

    Ramada Plaza Hotel, uma ótima opção, próximo ao aeroporto.

    A vantagem destes hotéis próximos ao aeroporto é que eles oferecem transporte gratuito do aeroporto para o hotel e vice-versa. O aeroporto de Los Angeles é muito movimentado, os hotéis ao redor são sempre bem cheios. Viemos pela United Airlines, uma das companhias válidas no programa Tam Fidelidade (aqueles de milhas de voos).

    Estávamos tão cansados da viagem (incluindo toda a maratona camping-carro) que a gente só pensava em comer, tomar banho (de 2 horas) e descansar. A verdade é que não planejamos nada sobre Los Angeles e estes 5 dias aqui. Tratamos de pegar todos os folhetos da recepção para nos organizarmos.

    Folhetos que pegamos na recepção do hotel. Estamos perdidos.

    Folhetos que pegamos na recepção do hotel. Estamos perdidos aqui em LA.

    Pelo que vimos, Los Angeles tem várias atrações semelhantes às da Flórida, principalmente Orlando, onde moramos 5 anos. Assim já fica mais fácil separar o que é interessante para a gente conhecer ou não. Além dos pontos mais famosos, pretendemos passear por aí para ver a cara da cidade.

    Fomos direto no supermercado mais próximo (Albertsons), estratégia rotineira saudável e econômica. Compramos saladas de frutas por $2.99 (muito barata comparado com o Havaí que custaria uns $7 brincando) e maionese com batatas, vegetais e frutas (uma delícia).

    As frutas são saborosas e baratas aqui na Califórnia. Vamos aproveitar.

    As frutas são saborosas e baratas aqui na Califórnia. Vamos aproveitar.

    Dá para perceber que aqui as frutas são mais baratas e abundantes. Eu sempre gostei de comidas misturadas com frutas como pizza Califórnia com pêssegos, cerejas e abacaxi, estas coisas. O melão da salada de fruta (verde e alaranjado) estavam muito doces, deliciosos.

    Está meio friozinho aqui, 24 graus Celsius é o máximo que está fazendo durante o dia. Estamos assistindo TV sobre a lamentável tragédia do óleo no Golfo do México pela CNN, uma perda sem tamanho.

  • Viagem para Maui

    Maui, a ilha mais bonita do Havaí, entrou para os nossos planos.

    Maui, a ilha mais bonita do Havaí, entrou para os nossos planos.

    O engraçado foi que a gente reservou as passagens aéreas de Oahu para Big Island e de Los Angeles para São Paulo. Nem estávamos preocupados com os preços do Hawaii para a Califórnia. Aconteceu que tudo está um absurdo de caro, subiu tudo de repente.

    De tanto a gente clicar no site da Expedia, descobrimos que saía mais barato a gente ir de Big Island para Maui, alugar carro lá por 3 dias (porque não dá para fazer nada lá sem carro) e depois pegar um voo direto para Los Angeles.

    Para quem pegou o bonde andando é confuso assim mesmo. Estamos tentando ir do Havaí para o Brasil da melhor forma, aproveitando preços e oportunidades de passeios.

    Para que facilitar se a gente pode complicar, não é mesmo? Então fica assim: Oahu (onde estamos, no Havaí), Big Island (a outra ilha do Havaí), Maui (ilha havaiana também), Los Angeles e São Paulo. Isso nem é viagem mais, é uma maratona.

    Com este “trio havaiano”, Oahu, Big Island e Maui, a gente completa o nosso plano inicial de conhecer as 3 principais ilhas do Havaí.

    Ouvimos dizer que Maui é a ilha mais bonita do Havaí. Será verdade?

    Ouvimos dizer que Maui é a ilha mais bonita do Havaí. Será verdade?

    É a segunda maior ilha do Havaí com alguns voos direto para a Califórnia.

    É a segunda maior ilha do Havaí com alguns voos direto para a Califórnia.

    Deve ser muito mais tranquila que Oahu, menos turistas por todo lado.

    Deve ser muito mais tranquila que Oahu, menos turistas por todo lado.

    Oahu, Big Island e Maui. Missão mais do que completa no Havaí.

    Oahu, Big Island e Maui. Missão mais do que completa no Havaí.

    Em Maui pretendemos acampar dentro de um parque estadual, ainda estamos pesquisando. Entre as 3 ilhas é a mais precária em termos de turismo e a mais rica em termos de paisagens. Por isso o aluguel do carro, queremos conferir de perto esta maravilha.

    Maui é a segunda maior ilha do Havaí. A maior é a Big Island, como o próprio nome diz. Não sabíamos nada sobre estes nomes até virmos para cá. Agora a gente fala delas como se fossem familiares há muito tempo.

    Parece muito lindo este planejamento todo, mas é bem trabalhoso e cansativo, como toda viagem complicada. E, como todos sabem, viagem é planejamento, não tem como fugir. A recompensa vem depois, quando os planos dão certo.

  • Passagens Aéreas

    Segunda-feira que vem estaremos acampando na Big Island, aqui no Hawaii

    Segunda-feira que vem estaremos acampando na Big Island, aqui no Hawaii

    Agora o relógio desandou de vez. Não estamos tendo tempo para mais nada nessa nossa vidinha à toa. Como planejado, deixamos as melhores coisas para fazer aqui no Havaí para o final. E, somado à estas atividades, ainda temos o planejamento de toda a viagem que está por vir.

    Além da Big Island, já reservamos a nossa passagem para o Brasil. Vamos de Los Angeles, a capital da Califórnia, para a capital de São Paulo no dia 8 de junho (para chegarmos no dia seguinte de manhã).

    Desta vez, devido aos preços altíssimos das passagens da Califórnia para o Brasil, pegamos uma companhia colombiana, a Alianca. Reservamos pela Expedia, site que a gente confia.

    A gente preferia a Tam, já que temos vários pontos do cartão Fidelidade, mas estava bem mais cara a passagem aérea.Vamos fazer uma escala em Bogotá, capital da Colômbia. Eu sempre quis conhecer esta cidade, mas vamos ter tempo somente para a mudança do voo e olha lá. Um dia a gente vai para lá, do Brasil.

    Daqui de Honolulu, na ilha de Oahu, iremos para Hilo, no norte da Big Island

    Daqui de Honolulu, na ilha de Oahu, iremos para Hilo, no norte da Big Island

    De Big Island voaremos para Los Angeles, Califórnia.

    De Big Island, Havaí, voaremos para Los Angeles, Califórnia.

    Uma pequena escala em Bogotá, na Colômbia, lugar que deve ser maravilhoso.

    Uma pequena escala em Bogotá, na Colômbia, que deve ser interessante.

    Até chegar na nossa conhecida capital de São Paulo, no Brasil.

    Até chegar na nossa conhecida capital de São Paulo, no Brasil.

    Estamos cheios de planos e roteiros. Big Island está por vir, segunda-feira que vem estaremos por lá. Está sendo super difícil planejar esta viagem porque os websites são bem fracos, daqueles que, quando você encontra alguma coisa, faltam informações e são desatualizados.

    Para Big Island pegamos a companhia aérea Go! Mokulele, uma empresa não muito grande que faz voos entre as principais ilhas do Havaí.

    O plano é ficarmos um tempo no Brasil, viajando por lá por enquanto. Nossa jornada de 5 anos e meio nos Estados Unidos está chegando ao fim. Vamos encarar a capital paulista por um tempo e depois escolher uma cidade mais calma para morar, não sabemos aonde ainda.

    O Havaí foi certamente o melhor lugar em que estivemos. Se um dia voltarmos a morar nos Estados Unidos, será certamente em alguma das ilhas havaianas. A gente só não fica de vez porque é uma decisão muito difícil essa, de escolher um lugar para ficar “para sempre”. Teríamos que pensar em comprar carro, casa, estas coisas. Primeiro temos que passar uma temporada no Brasil para termos certeza.

Todas as Viagens

Comentários

  • João Pedro Benacchio: Pessoal não fui eu quem escreveu esse...
  • Gustavo Woltmann: Lindas imagens da cidade. Fui para Balneário...
  • denise: anonimo já diz covarde , ignorante e preconceituoso, vc...
  • Ken: Caracas…. quanto japa!! Fora vcs dois, o resto era tudo...