News Stories

  • Pinacoteca de São Paulo

    Arte na Pinacoteca de São Paulo, localizada da Praça da Luz, no centro.

    Arte na Pinacoteca de São Paulo, localizada da Praça da Luz, centro.

    Na Praça da Luz, no centro, também está a Pinacoteca de São Paulo, um dos principais museus do país. O prédio abriga pinturas, esculturas e mostras paralelas. Aos sábados a entrada é gratuita.

    Sábado passado a gente passou pela Pinacoteca após a visita ao Museu da Língua Portuguesa. Apesar de estar de frente um para o outro, eu tive a impressão de que a Pinacoteca merece um dia exclusivo para a visita. São várias salas que acabam sendo desperdiçadas se olhadas rapidamente. A mesma coisa acontece com os outros museus na cidade.

    Fachada do prédio da Pinacoteca de São Paulo

    Fachada do prédio da Pinacoteca de São Paulo

    Várias telas, esculturas e mostras especiais nos salões da Pinacoteca.

    Várias telas, esculturas e mostras especiais nos salões da Pinacoteca.

    Detalhe de uma obra de arte feita de canudos que parecem uma colméia.

    Detalhe de uma obra de arte feita de canudos. Parece uma colméia.

    Os andares da Pinacoteca são divididas por várias salas de mostras diferentes.

    Os andares da Pinacoteca são divididos por várias salas de mostras diferentes.

    Instalação no salão principal formada por copos de vidro deformados.

    Instalação no salão principal formada por copos de vidro deformados.

    São Paulo é uma cidade que oferece tantas oportunidades e opções culturais que possibilita qualquer pessoa fazer um programa adequado ao gosto e vontade do dia. É como um bom restaurante self service. De tudo um pouco, à vontade, de acordo com o humor e ‘apetite’ do dia.

    Para quem tem tempo, São Paulo é uma metrópole para se descobrir aos poucos, selecionando cada programa com cuidado. Eu gosto muito do site Catraca Livre, da Folha de São Paulo. Eles têm sempre uma agenda completa com tudo o que está acontecendo culturalmente na cidade, principalmente os eventos gratuitos.

    Um dica é também assinar o RSS (feeds) dos sites preferidos sobre os eventos em São Paulo. Eu tenho uma boa seleção destes sites, incluindo o Catraca Livre, Sesc e outros. Assim você não fica sabendo do evento depois de ter acontecido.

    Ontem foi a vez do roteiro ‘glam’. Cerveja no Empanadas Bar, na Vila Madalena, Mojitos no bar do Hotel Unique (cinco estrelas, chique que só vendo, com a melhor vista de São Paulo) e madrugada no apartamento do meu amigo Alex, na Av. Paulista.

    Para voltar da Av. Paulista a gente pegou um táxi. Nada mal, 20 reais de lá até o bairro Perdizes. Segundo esse meu amigo, pegar táxi ainda acaba saindo mais barato do que comprar um carro, principalmente aqui em São Paulo.

  • Festa Junina de Variedades

    Festa Junina organizada pelo grupo teatral Cia. São Jorge de Variedades.

    Festa Junina organizada pelo grupo teatral Cia. São Jorge de Variedades.

    Não é nem junho mais, mas em São Paulo as festas juninas continuam. Ao passar de ônibus em vários pontos da cidade dá para ver várias quermesses com as bandeiras coloridas de festa junina e outros eventos ‘juninos’ de bairros.

    No domingo fomos até a Barra Funda, na sede do grupo teatral Cia. São Jorge de Variedades, onde aconteceu a tradicional festa junina de bairro. Eles fecham a rua de frente para a sede onde ensaiam as peças teatrais e fazem um completo arraial caipira.

    Vinho quente com maçã e canela, quentão, cachorro-quente, churrasco, canjica, doces, jogos para crianças, quadrilha, fogueira e tudo mais. Até banda ao vivo teve, um forró no meio da Barra Funda, com muita animação.

    Aproveitamos dar uma olhada no espaço de ensaio da companhia. O grupo tem mais de 10 anos, é muito conhecido em todo o Brasil. Eu mesma já assisti algumas delas.

    Forró pé-de-serra e muitas outras atrações na festa junina da Barra Funda.

    Forró pé-de-serra e muitas outras atrações na festa junina da Barra Funda.

    Quando a gente foi embora, quase à noite, ainda estava lotado.

    Quando a gente foi embora, quase à noite, ainda estava lotado.

    Logo do grupo de teatro na sede da companhia, na Barra Funda.

    Logo do grupo de teatro na sede da companhia, na Barra Funda.

    Espetáculo de rua da companhia que estará no FIT Rio Preto 2010.

    Espetáculo de rua da companhia que estará no FIT Rio Preto 2010.

    Adorei a decoração de todo o espaço da Cia. São Jorge de Variedades.

    Adorei a decoração de todo o espaço da Cia. São Jorge de Variedades.

    A Barra Funda é um bairro meio ‘barra pesada’ à noite, principalmente quando se depende de transporte público. Ainda bem que a festa junina foi de dia. Aliás, é uma pena São Paulo ser tão perigosa. Vários lugares a gente acaba deixando de ir por causa disso, é muito arriscado, ainda mais para quem não é daqui e não sabe das coisas.

    A Cia. São Jorge de Variedades estará na programação do FIT RP (Festival de Teatro Internacional de São José do Rio Preto) com o espetáculo de rua ‘Quem não sabe mais quem é, o que é e onde está precisa se mexer’.

    Estamos na nossa última semana aqui em São Paulo antes de irmos para Rio Preto. O inverno não começou aqui ainda ‘para valer’. Pretendemos escapar do frio intenso indo para o interior.

  • MIT 2010 – Mostra Internacional de Teatro

    O MIT 2010 contou com espetáculos internacionais da França, Estados Unidos e Chile.

    O MIT 2010 contou com espetáculos internacionais da França, Estados Unidos e Chile.

    Ontem a gente conseguiu pegar a última apresentação do MIT 2010 (Mostra Internacional de Teatro) no Centro Cultural Banco do Brasil. O MIT, aqui em São Paulo, fez parte do FILO (Festival Internacional de Teatro de Londrina).

    O espetáculo que assistimos foi o ‘El Último Heredero’, da Cia. Teatro Viaje Inmóvil, do Chile. 1 hora e meia de peça, com 4 atores e manipulação de bonecos. O texto era todo em espanhol com ‘legenda’ (isso mesmo, em um telão lateral) em português.

    Como a peça era sobre a guerra no Chile e a história da época em diálogos complexos, o Franky ficou sem entender nada. Nem eu que entendo um pouco de espanhol deixei de dar uma espiada nas ‘legendas’ em português. Espetáculo excelente, recebeu o ‘bravo’ da platéia.

    Foto de divulgação do espetáculo 'El Último Heredero', do Chile.

    Foto de divulgação do espetáculo 'El Último Heredero', do Chile.

    Hall do CCBB (Centro Cultura Banco do Brasil) com 'plásticos pendurados'.

    Hall do CCBB (Centro Cultura Banco do Brasil) com uns 'plásticos pendurados'.

    Lá fora do CCBB alguns grafiteiros estavam pintando uns painéis na rua.

    Lá fora do CCBB alguns grafiteiros estavam pintando uns painéis na rua.

    O festival MIT terminou ontem, domingo, após quase 2 semanas de apresentações gratuitas no CCBB, no centro de São Paulo. Foi a minha primeira vez no Centro Cultural Banco do Brasil. Espetacular, pretendo voltar várias vezes.

    O que nós gostamos também foi de um serviço de transporte gratuito oferecido pelo banco. As vans saem de lá e deixam o pessoal na rua Consolação, facilitando assim o percurso para casa. O bom é que corta o pedaço mais perigoso (apesar de vários policiais que vimos) lá no centro. O serviço funciona de terça a domingo.

    O mais interessante que eu pude perceber aqui em São Paulo é que os domingos são os dias com o maior número de espetáculos e opções de lazer, principalmente os gratuitos. Fica muito difícil de escolher o que assistir, mas ao mesmo tempo cria a oportunidade de todos conseguirem ingressos. A fila para a retirada do ingresso no CCBB estava organizada, sem tumulto, pegamos lugares bons.

    Já estamos nos preparando para as peças internacionais do FIT (Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto). Semana que vem estaremos comprando as nossas passagens do Cometão.

  • Museu da Língua Portuguesa

    Detalhe da 'Árvore da Palavra', de 16 metros de altura no Museu da Língua Portuguesa.

    Detalhe da 'Árvore da Palavra', de 16 metros de altura, no Museu da Língua Portuguesa.

    Fomos conferir a exposição ‘Menas, o certo do errado, o errado do certo’ no Museu da Língua Portuguesa, de frente para a Praça da Luz, no centro de São Paulo.

    Como eu nunca tinha visitado o museu, foi uma oportunidade de conhecer o espaço cultural paulista. Para o Franky serviu de uma ‘pequena inspiração’ para aprender o português. A língua portuguesa é uma das mais complexas do mundo. Difícil até para os brasileiros.

    Explicar como é um museu é a mesma coisa que contar como foi um filme. É ir lá e ver de perto. Aos sábados é gratuito, fica de frente para a Pinacoteca de São Paulo, muito interessante, um ótimo programa para se fazer em São Paulo, principalmente nos finais de semana.

    Vale a pena conferir a exposição 'Menas' que mostra os erros mais comuns.

    Vale a pena conferir a exposição 'Menas, o certo do errado, o errado do certo'.

    Painel mostra os 100 erros mais comuns cometidos na língua portuguesa.

    Painel mostra os '100 erros nossos de cada dia'. Muito divertido.

    Mostra interativa de palavras formando um visual

    Mostra interativa de palavras onde é possível organizá-las visualmente.

    O museu também tem várias outras coisas para se ver.

    O museu também tem várias outras coisas para se ver.

    Este corredor escuro é formado por projeções com áudios diversos.

    Este corredor escuro é formado por projeções com áudios diversos.

    Salão com painéis educativos sobre a história da língua portuguesa e outros.

    Salão com painéis educativos sobre a história da língua portuguesa.

    O museu tem um elevador panorâmico com uma música ambiente do Arnaldo Antunes que dá uma visão geral dos 3 andares. Exposições audio-visuais, interativas, filme e instalações. O visual de todo o museu é bem hi-tech.

    E por falar em língua portuguesa, hoje tivemos um dia bem brasileiro. Jogo de futebol (Copa), feijoada aqui em um restaurante em Perdizes, maravilhosa (na Av. Afonso Bovero), caipirinha e cerveja. E para completar um passeio ao Museu da Língua Portuguesa.

    Mas, mesmo com tudo isso, ninguém tira o patriotismo alemão do Franky, ainda mais hoje, que a Alemanha acabou com a Argentina nos 4 a zero.

    Ontem a Argentina fez festa diante da derrota do Brasil. Agora eles saem de ‘mãos dadas’ de volta para a América do Sul. Não deu um nem outro. O vizinho aqui disse: ‘Agora é a nossa vez de dar risada. Levaram em dobro, e com juros’.

  • O Fim das Vuvuzelas

    O Brasil está fora da Copa. Ninguém esperava a derrota no jogo contra a Holanda.

    O Brasil está fora da Copa. Ninguém esperava a derrota no jogo contra a Holanda.

    Eu, sinceramente, achava que a gente fosse ver o Brasil jogar contra a Argentina ou a Alemanha nas finais. Acho que ninguém esperava a derrota no jogo contra a Holanda. Uma surpresa para todo mundo, principalmente para os brasileiros.

    Aqui em São Paulo, após o final do jogo do Brasil, foi um silêncio de dar medo. Nem um pio, nada. Nem de brincadeira. Ficou todo mundo meio que paralisado e chocado com o resultado. Aos poucos o movimento nas ruas começou timidamente a voltar ao normal.

    Nas calçadas o pessoal comentava com os vizinhos sobre as ‘falhas’ do time brasileiro e aí por diante. Para o brasileiro em geral, mais do que para qualquer um no mundo, o futebol é tudo na vida. Felizmente não é só no futebol que o Brasil está se destacando ultimamente. Bola para frente.

    Ninguém se conformava com o resultado do jogo. Demorou para 'cair a ficha'.

    Ninguém se conformava com o resultado do jogo. Demorou para 'cair a ficha'.

    O site da UOL publicou umas fotos da torcida desiludida.

    O site da UOL publicou umas fotos da torcida desiludida.

    É o fim da torcida mais animada da Copa do Mundo.

    É o fim da torcida mais animada da Copa do Mundo.

    Agora é esperar para a próxima Copa em 2016, fazer o que?

    Agora é esperar para a próxima Copa do Mundo, em 2014, fazer o quê?

    Amanhã tem o jogo decisivo Argentina e Alemanha. A festa continua, como diz os canais de TV, tem muita gente torcendo também para outros países. Principalmente em São Paulo tem gente de todo mundo. Qualquer país que ganhar vai fazer algum paulistano feliz.

    Para quem não é fanático por futebol, como é no nosso caso, foi só o final de uma grande competição esportiva. O fim das vuvuzelas e a euforia histérica pelas ruas. Mas mesmo assim fica aquela sensação que incomoda de que deveria ter sido um pouco mais. Ninguém estava esperando ver o Brasil fora tão cedo.

    Por outro lado os argentinos e alemães (e uruguaios) ficam mais aliviados. Os cachorros da vizinhança também agradecem.

  • Santa Efigênia, o mundo dos eletrônicos

    A Santa Efigênia é famosa no Brasil todo pela concentração de lojas de informática.

    A Santa Efigênia é famosa no Brasil todo pela concentração de lojas de informática.

    Hoje foi o dia dos eletrônicos. A Santa Efigênia também fica no centro, lá para aqueles lados da Praça da República. Tudo o que você estiver procurando em eletrônicos você encontrará lá. Se não encontrar, provavelmente não encontrará em lugar nenhum no Brasil.

    São galerias estreitas com várias portinhas vendendo de tudo relacionado à informática, telefonia, som e imagens. Tudo mesmo. Ali você vai encontrar preços bem mais baixos do que em lojas especializadas (em outros lugares).

    O interessante é a variedade de marcas e modelos. É pagar e levar.

    O interessante é a variedade de marcas e modelos. É pagar e levar.

    Os corredores das galerias são estreitos e cheios de coisas para ver.

    Os corredores das galerias são estreitos e cheios de coisas para ver.

    Dias ensolarados como este são muito apreciados pelos paulistanos.

    Dias ensolarados como este são muito apreciados pelos paulistanos.

    O que eu gosto também do centro de São Paulo é o visual underground.

    O que eu gosto também do centro de São Paulo é o visual underground.

    A última vez que eu fui (faz muito tempo), tinha muita gente vendendo CDs de música, DVD’s de filmes, jogos e programas para computador piratas. Desta vez não tinha nada escancarado, apenas algumas pessoas fazendo propaganda de boca em boca. Isso, logicamente, por causa da fiscalização pesada que está lá direto. Tinha ruas com fileiras de carros da polícia.

    Achei bem organizado e seguro passear por estas lojas. O que eu notei também foi que a quantidade de chineses também diminuíram. Acho que a polícia cortou o barato do movimento forte da máfia chinesa que tinha antes. Ruas limpas e sem tumulto.

    Como a gente não estava procurando nada em particular fomos só passeando pelos corredores das galerias e lojas. Entramos em várias. A impressão que dá é que todas são iguais, de tão parecidas umas com as outras.

    No caminho de volta para a República encontramos um restaurante muito bom chamado Mary Jane. Fica na Rua Aurora com a Avenida Vieira de Carvalho. Comida à vontade por 7,99 reais com direito à feijoada e vários outros pratos. O lugar é limpo, organizado, clientela decente e a comida é excelente. Lugar raro de se encontrar ali no centro de São Paulo.

    Com um mapa 'caseiro' na mão fica tudo mais fácil em São Paulo.

    Com um mapa 'caseiro' na mão fica tudo mais fácil em São Paulo.

    Restaurante Mary Jane no centro de São Paulo: bom, limpo e barato.

    Restaurante Mary Jane no centro de São Paulo: bom, limpo e barato.

    O jeito foi experimentar tudo. Nada como a comida brasileira.

    O jeito foi experimentar tudo. Nada como a comida brasileira.

    Saladas e sobremesas boas. Tem caipirinha e café de graça.

    Saladas e sobremesas boas. Tem caipirinha e café de graça.

    Aos poucos a gente vai se acostumando a pegar ônibus, a confiar nos mapas e rotas do Google Maps e a explorar com mais tranquilidade as ruas de São Paulo. Para mim está sendo uma desmistificaçao desta gigantesca metrópole.

  • A Galeria do Rock, em São Paulo

    O melhor que a gente viu foi essa cabeça do HellBoy em tamanho real.

    O melhor que a gente viu foi essa cabeça do HellBoy (cinema) em tamanho real.

    Visita obrigatória em São Paulo. A Galeria do Rock vem, desde a década de 70, sendo o lugar mais representativo no setor de discos, CDs raros, camisetas de banda, tatuagens, piercings, roupas para shows e tudo mais relacionado não somente ao rock, mas à música em geral.

    O prédio tem vários andares. No primeiro (térreo) estão as lojas mais gerais, com uma mistura de tudo, lojas de skatistas, roqueiros, esportistas, rap, hip hop e assim por diante. Nos andares superiores o rock vem mais clássico e específico. Muitas camisetas de bandas dos anos 60 e 70. Lá no último andar o pessoal vende camisetas em série, por encomendas.

    Vista de lá de cima da Galeria do Rock, no centro de São Paulo.

    Vista de lá de cima da Galeria do Rock, no centro de São Paulo.

    Camisetas de personagens em quadrinhos Simpsons e outros.

    Camisetas de personagens em quadrinhos dos Simpsons e outros.

    Bobeirinhas no estilo Hot Topic, loja de rock nos Estados Unidos.

    Bobeirinhas no estilo Hot Topic, loja de rock dos Estados Unidos.

    Cabeça do Predator, clássico do cinema. E o Chuck, dos filmes cult.

    Cabeça do Predator (à direita), clássico do cinema. E o Chuck, dos filmes cult.

    Vimos também muitos acessórios na linha alternativa, figuras de ação (miniaturas de personagens de comic books e filmes clássicos e cult). Existem lojas especializadas em roupas hippies e góticas. É a verdadeira democracia musical.

    A Galeria do Rock fica lá no centro de São Paulo, próximo à Praça da República, Teatro Municipal de São Paulo e outras cenas históricas.

    As camisetas de rock, pretas, custam em média 20 reais. As lojas, do segundo ao penúltimo andar (não me lembro ao certo quantos andares são), são bem parecidas. O melhor é já saber que banda você está procurando para perguntar ao vendedor, senão você passará o dia todo vendo uma por uma.

    Tem modinha rock-fashion também. Acessórios cor-de-rosa e tudo mais.

    Tem modinha rock-fashion também. Acessórios cor-de-rosa e tudo mais.

    As lojas de figuras de ação são muito boas. Completas.

    As lojas de figuras de ação são muito boas. Completas.

    Moda hippie de boutique. Está mais para baile à fantasia.

    Moda hippie de boutique. Está mais para baile à fantasia.

    A impressão é que muito do rock ficou meio parado no tempo, lá pelos anos 60 e 70 (um pouco do início de 80 também). Mas eu concordo que depois disso vieram poucas coisas boas a ponto de se usar uma camiseta da banda. Muita gente ainda vive nas décadas passadas, com o visual, pensamentos e filosofias da época.

    Mas de qualquer forma, a Galeria do Rock une gerações de todas as manifestações musicais. Um passeio imperdível, para qualquer pessoa que goste de música de qualquer estilo ou época.

  • Jogos da Copa, churrasco e cerveja

    Gente, quem aguenta este nanico do Maradona? Quero ver a Argentina perder do Brasil.

    Gente, quem aguenta este nanico do Maradona? Quero ver a Argentina perder do Brasil.

    Enquanto a Copa do Mundo não termina é quase que um feriado constante no Brasil. Todo mundo parece meio avoado, com a cabeça lá longe, nos estádios da África. Já que é assim, nada como um churrasco com muita cerveja e caipirinha para entrar no clima.

    Ontem foi dia de churrasco completo, com maionese de batatas e vários outros ingredientes, farofa temperada, mandioca amarela, arroz, vinagrete e pão. Tudo isso para ver a Alemanha e a Argentina ganharem.

    Meu amigo brasileiro Tammer foi outro dia assistir ao jogo dos Estados Unidos em Miami, saiu decepcionado. Além da festa por lá não ser que nem aqui (nos Estados Unidos é bem sem-graça nesta época), os Estados Unidos perderam. Americano não gosta de futebol, só de futebol americano.

    A verdade é que o Brasil só volta a entrar nos eixos após o dia 11 de julho, o último jogo da Copa. E espero ver o Brasil jogar contra a Argentina ou a Alemanha.

    A Alemanha também está jogando muito bem. Não sei não.

    A Alemanha também está jogando muito bem. Não sei não.

    Já comprei pela internet os ingressos do FIT Rio Preto (Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto). Resolvi comprar os 4 espetáculos internacionais pagos (espetáculos americano, chileno, alemão e canadense), já que os gratuitos são tantos que não teremos nem tempo de conferir os nacionais pagos. A venda de ingressos está sendo feita pelo site do Sesc São Paulo, muito organizado e fácil, fiquei muito satisfeita.

    O tempo passa muito rápido aqui na capital paulista. Já estou pesquisando sobre as passagens de ônibus para Rio Preto. Os serviços de vendas de passagens rodoviárias pela internet ainda são meio ruins, não se comparam com as vendas de passagens aéreas.

    E, por falar nisso, eu não vejo a hora de chegar a primavera. Morar em São Paulo, capital, tem muito mais vantagens do que desvantagens. Daqui saem os voos (e ônibus) para todas as praias e todos os lugares legais no Brasil. Estamos pensando seriamente em ficar por aqui mesmo a partir de agosto.

    E hoje tem o jogo do Brasil contra o Chile.

  • Feira de Antiguidades da Praça Benedito Calixto

    Alguém se lembra destas latas super-resistentes de antigamente?

    Alguém se lembra destas latas super-resistentes? Eu não me lembrava mais.

    Fiz as pazes com o Google Maps. Daqui de Perdizes até a Praça Benedito Calixto leva apenas 20 minutos de ônibus, tudo explicado pela rota do Google Maps na função transporte público.

    Eu já tinha ido lá nesta feira da Calixto, mas faz muito tempo já, nem me lembrava mais. E não me lembrava também de muita coisa que eu vi por lá, que já passaram pela minha infância.

    A feira da Benedito Calixto é uma das mais tradicionais de São Paulo, fica em Pinheiros e além da feira de antiguidades e relíquias, ainda é cercada de bares badalados e lojas retrôs. Acontece todos os sábados.

    Muita coisa para colecionadores. Moedas, louças, brinquedos e máquinas fotográficas.

    Muita coisa para colecionadores. Moedas, brinquedos e máquinas fotográficas.

    Esta cadeira não me parece nada confortável, mas tem estilo.

    Esta cadeira não me parece nada confortável, mas tem estilo.

    Eu adorei estas garrafas achatadas. Ótima decoração para bares.

    Eu adorei estas garrafas achatadas. Ótima decoração para bares.

    Eu tinha uma Mônica parecida com esta aí e outros bonecos de borracha.

    Eu tinha uma Mônica parecida com esta aí e outros bonecos de borracha.

    Vimos vários artesanatos de primeira, móveis contemporâneos criativos (e caros), roupas de marcas sendo vendidas ao som de DJs ao vivo (tecno music) dentro da loja e gente tomando cerveja nas calçadas. Ah, e no meio da feira tem uma área de alimentação com pastéis, comidas baianas, rodas de chorinho e doces caseiros.

    A temática principal do local é pop art, estilo retrô e alternativo. É um excelente local para comprar algo especial para a decoração da sua casa. Algo para colocar no centro da sala ou na parede principal. Eu adorei os quadros dos personagens da Marvel no estilo antigo.

    Autorama, Genius, PlayMobil, bonecas antigas e a lista vai longe.

    Autorama, Genius, Playmobil, bonecas antigas e a lista vai longe.

    Disco de vinil coloridos. O pior é que eu já tive destes.

    Discos de vinil coloridos. O pior é que eu já tive destes.

    Foto que eu tirei de fora do ônibus, com os grafites refletidos nas janelas.

    Foto que eu tirei do ônibus, com os grafites refletidos nas janelas.

    Estas galinhas meu deu saudades do Porto de Galinhas em Pernambuco.

    Estas galinhas me deram saudades do Porto de Galinhas em Pernambuco.

    O pessoal se reúne para um ‘papo-cabeça’, papo-furado ou até mesmo uma paquera. É um pessoal mais elitizado, tenho que admitir, não é o mesmo da torcida do Brasil no Parque Anhangabaú, por exemplo. Por isso mesmo as coisas são mais caras por lá também.

    Para muita gente é apenas um monte de coisas velhas e esquisitices, discos, revistas e outras velharias que deveriam estar na lata do lixo faz tempo. Para outras, é o ganha-pão faz mais de 20 anos, como é o caso de uma mulher que estava vendendo umas calças xadrezes no estilo pijama.

  • ‘Pratos Típicos de Inverno’

    Batata, cenoura, abóbora japonesa, tomate, pimentão, bacalhau, cebola e outros.

    Batata, cenoura, abóbora japonesa, tomate, pimentão, bacalhau, cebola e outros.

    Este foi o nome que eu dei às minhas experiências na cozinha. Eu nunca cozinhei direito. Mais pelo motivo de estar sempre para lá e para cá, sempre de mudança, sempre no improviso durante as nossas viagens. A gente nunca comprou panelas boas e utensílios de cozinha. Nada que não pudéssemos jogar fora depois sem pensarmos duas vezes.

    Quem me conhece sabe que eu sou de fazer no máximo um miojo mais requintado. Agora, em São Paulo, decidimos colocar mais a mão da massa. Já é inverno, estamos em um lugar favorável às tentativas culinárias, pertinho da feira, com produtos frescos e tudo mais. No Brasil fica tudo mais fácil.

    A gente lota a geladeira de legumes e frutas da feira aqui perto.

    A gente lota a geladeira com legumes e frutas da feira aqui perto.

    A minha mãe me ajuda por email mandando as receitas (sem medidas, só a idéia). Eu procuro na internet e tento combinar então os ingredientes. Já fiz quibe assado (ficou bom, mas um pouco mole), strogonoff (poderia ter ficado melhor com filé mignon, usei alcatra) e hoje foi o dia de bacalhau com legumes e arroz (ficou no ponto).

    O meu site preferido para pegar as receitas é o Tudo Gostoso. A maioria das receitas são fáceis, bem explicadas e com fotos. O melhor é que são testadas pelos próprios internautas-cozinheiros que classificam a qualidade das receitas.

    Tudo o que você pensar em comida está lá. E com várias versões.

    Tudo o que você pensar em comida está lá. E com várias versões.

    Todas as receitas que eu tentei fazer ficaram boas no geral, principalmente no tempero, que eu acho o fundamental. O resto dá-se um jeito. Quando você não tem prática na cozinha é um ‘Deus nos acuda’. O Franky, coitado, tem que me ajudar a picar os legumes e verduras. Ele é mais rápido e sempre deu certo de a gente trabalhar em conjunto.

    O jeito também é improvisar. Olhar a receita e substituir alguns ingredientes. E cortar alguns temperos e adicionar outros também. Outro segredo é fazer uma comida saudável com gosto de comida boa (que geralmente não é saudável). Tentar usar menos óleo, menos sal e menos açúcar nas comidas e ainda ter um resultado bom. Eu gosto de bastante cebola, alho, azeite e limão para temperar.

    É a viagem gastronômica. O desafio de comer bem e saudavelmente.

  • Japão nas Oitavas da Copa do Mundo

    O Japão jogou bem, foi um jogo muito divertido de se ver.

    O Japão jogou bem, foi um jogo muito divertido de se ver. Vitória merecida.

    Apesar da família toda estar torcendo para o Brasil e para o Japão, eu só estou torcendo mesmo é para o Brasil. Não tem essa de torcer para 2 times, vai dar um ou outro.

    O Franky, apesar de não assumir, está torcendo para a Alemanha. Então estamos bem divididos. Hoje deu Japão em um jogo considerado ‘jogão’ pelos comentaristas da TV.

    É tão engraçado que nenhum país fica tão alvoroçado (para não dizer histérico) com a Copa do Mundo como o Brasil. Mas as tão faladas vuvuzelas não estão infernizando só por aqui não. É no mundo inteiro. Li hoje no Wikipédia que a tal da vuvuzela (corneta dolorida) veio da África, fazendo um som entre sirene e elefante.

    Vi estas fotos da torcida japonesa no site do Terra.

    Vi estas fotos da torcida japonesa no site do Terra.

    Tá na Copa tem que arrasar, né? Esses japoneses são malucos!

    Tá na Copa tem que arrasar, né? Esses japoneses são malucos!

    A torcida bem criativa, colorida e animada. Os fotógrafos adoram.

    A torcida bem criativa, colorida e animada. Os fotógrafos adoram.

    A vuvuzela foi quase proibida nas torcidas dos jogos da Copa, mas como acontece na África e a corneta veio de lá, eles a defenderam dizendo que faz parte da cultura africana. Ficou então liberada (tamanho máximo de 1 metro) para a infelicidade de muitos, principalmente para às emissoras de TV e rádio que sofrem com a transmissão no meio de tanto barulho.

    Vi também em algum site que o som de várias vuvuzelas chegam a ser mais alto que de um avião. Cada uma. E brasileiro adora, já tem em todas as versões, até para crianças. Dá-lhe vuvuzelada no ouvido.

    Até para quem não gosta de futebol, a Copa do Mundo é um prato cheio. Mas como me disseram por aí, se você não assistir os jogos do Brasil, vai fazer o que nesta hora? Está tudo fechado e todo mundo de olho na TV. E com isso a gente vai ficando por dentro de quase tudo o que acontece. A tabelinha da Copa aqui está sendo preenchida diariamente.

    A briga vai ser feia a partir dos jogos das oitavas. A Itália caiu fora fazendo feio e o Brasil vai enfrentar Portugal amanhã. É hora dos portugueses levarem goleadas ‘de graça’ do Brasil. Já estão nas oitavas mesmo.

  • Tratamento dentário e outras coisas indesejáveis

    Tratamento dentário. Quem nunca passou por isso na vida?

    Tratamento dentário. Quem nunca passou por isso na vida?

    A viagem hoje foi é para o dentista. A verdade é que a gente está aqui no Brasil principalmente para tratar os dentes do Franky. Nos Estados Unidos simplesmente não tem condição, é caríssimo.

    Resumindo, o problema é que ele ainda tem um dente de leite (canino superior) que ainda não caiu (e está para cair). O dente permanente nunca nasceu porque está deitado (dente incluso) dentro da gengiva. Eu detesto estes assuntos, acho que ninguém gosta.

    Pesquisando, o caso nem é tão raro, é até comum. Mas cada caso é um caso. E cada bolso é um bolso. Estamos aqui em São Paulo subindo e descendo as ruas atrás de um dentista que dê alguma solução milagrosa de um tratamento que dure menos de 2 anos (!).

    Imaginem que a nossa ‘viagenzinha’ para o Brasil pode prolongar por mais de 2 anos com este tratamento. A gente não esperava. É verdade que não tínhamos um plano traçado, mas também não estamos acostumados a nos enraizar nos lugares por causa dos dentes.

    Tirar um dente e colocar outro no lugar não é tão simples assim não.

    Tirar um dente e colocar outro no lugar não é tão simples assim não.

    O dilema é fazer implante dentário, isso significa arrancar o dente permanente ‘encalhado’ e colocar um artificial ou arriscar e tentar puxar o ‘adormecido’ de lá da gengiva em um processo bem lento e trazê-lo aos poucos no lugar ainda com o risco de ter que desistir no caminho e voltar para a idéia do implante. Nos dois casos o uso do aparelho fixo (em cima e em baixo) será necessário.

    Eu estou servindo de tradutora dos dentistas. Imagine eu, que detesto dentistas e todos os assuntos relacionados, traduzindo estas histórias de terror.

    Uma coisa engraçada é que o Franky não entende piadas brasileiras (como todo bom alemão). O dentista disse no final da consulta: ‘Não foi dessa vez que você terá que usar dentaduras’. Eu traduzi para o Franky que, ao invés de rir, ficou todo preocupado, achando que era verdade. Coisas da vida.

  • Restaurantes de Sushi no Brasil

    O Restaurante Matsuya é muito bom. Melhor ainda porque fica aqui perto.

    O Restaurante Matsuya é muito bom. Melhor ainda porque fica aqui perto.

    O sushi está tão na moda que a cada 3 quarteirões aqui em São Paulo é possível encontrar pelo menos 1 restaurante japonês com sushi e outros pratos orientais. Talvez eu esteja exagerando, mas foi essa a impressão que me deu desde quando eu cheguei aqui na capital paulista.

    Outro dia fomos com meu tio em um restaurante aqui perto chamado Matsuya, aqui mesmo em Perdizes. Muito bom. E olha que eu sou chata com sushi. Já trabalhei em restaurante japonês por 2 anos em Orlando, na Flórida e tive a experiência de comer quase todos os dias sushi.

    O Restaurante Matsuya tem os famosos barcos com variedades de sushi e sashimi. Nós experimentamos o barco de 54 peças. É uma quantidade razoável, mas eu ainda acho que compensa o rodízio que eles oferecem por R$24,90 por pessoa. Final de semana é um pouco mais caro.

    O restaurante é simples e bom. A gente foi à pé de tão perto.

    O restaurante é simples e bom. A gente foi à pé de tão perto.

    O barco é bom, mas acaba rapidinho. Da próxima vez a gente vai de rodízio.

    O barco é bom, mas acaba rapidinho. Da próxima vez a gente vai de rodízio.

    Vem até sushi de polvo. O Franky não é muito fã deste, mas experimentou.

    Vem até sushi de polvo. O Franky não é muito fã deste, mas experimentou.

    O segredo, além claro, da qualidade do peixe, está na qualidade do arroz. Tem que estar no ponto. O meu tio falou que tem um restaurante japonês que os caras são tão experimentes que eles pegam punhados exatos de 112 grãos de arroz por vez para fazerem os niguiris (aquele sushi com sashimi em cima).

    Outra coisa que eu fiquei sabendo também é que com a popularidade do sushi, começaram a faltar peixes no mar. O atum e o salmão estão começando a desaparecer, entrando quase em extinção. Antes ninguém comia sushi como agora.

    O negócio é aproveitar porque, se for isso mesmo, vão começar a ficar caros demais os restaurantes japoneses. Se isso acontecer eu não duvido dos brasileiros improvisarem com outros ingredientes alternativos. Já ouvi que fizeram até versão com frango frito no nordeste.

    Comer sushi está na moda no mundo inteiro. Nos Estados Unidos parece que tinha mais restaurantes que no Brasil ainda. Sushi, sashimi, temaki, niguiri, missoshiro, tofu, saquê, chá verde e estas coisas boas que a gente adora.

  • Turismo em São Paulo

    Imagem belíssima do Centro Cultural de São Paulo.

    Imagem belíssima do Centro Cultural de São Paulo.

    São Paulo é uma caixa de surpresas mesmo para os próprios paulistanos. A maioria das pessoas que moram em São Paulo não visitaram nem a metade da lista dos pontos mais turísticos da capital paulista.

    Eu costumo dizer que em São Paulo estão as melhores e as piores coisas do Brasil. Aqui você acha de tudo, a diversidade é incomparável com o resto do país. Mas com ela vem a poluição, o trânsito e a violência também.

    Falar em sair pelas ruas de São Paulo é sinônimo de andar com roupas simples, nada que seja (ou que pareça) valioso, não fazer cara de quem está perdido e sempre cuidar das bolsas e carteiras. Para mim sempre foi a cidade-monstro. É tão grandiosa e cruel que assusta e encanta ao mesmo tempo.

    Em São Paulo é impossível conhecer tudo. O negócio é relaxar e ir por bairros.

    Em São Paulo é impossível conhecer tudo. O negócio é relaxar e ir por bairros.

    O que está sendo difícil também é lidar com o Google Maps que, curiosamente, não funciona como eu imaginava. Nos Estados Unidos qualquer negócio, por menor que seja, está no mapa do Google. Aqui não.

    Segundo o Wikipédia, São Paulo é bem menos violenta hoje do que a 10 anos atrás. Dá para confiar? Por via das dúvidas eu prefiro manter o meu visual “feinho” e de quem não carrega nada mais que o peso do corpo. A maioria das pessoas aqui já foram assaltadas.

    Se você pesquisar na internet o que fazer em São Paulo certamente ficará o dia todo abrindo janelas e janelas com milhares de opções. Mesmo eventos específicos, culturais, por exemplo, é uma imensidão.

    Viajar também não é conhecer tudo. É seguir as pontas dos pés e olhar ao redor. Afinal, como diz uma música antiga (do Chico Science): “um passo à frente e você não está no mesmo lugar”.

  • O jogo do Brasil no Parque do Anhangabaú

    Assistir ao jogo do Brasil na Copa do Mundo no Parque do Anhangabaú é uma experiência.

    Jogo do Brasil na Copa do Mundo no Parque do Anhangabaú, em São Paulo.

    Aproveitando que estamos em São Paulo, na época da Copa do Mundo, fomos com meu primo Kembo conhecer o Parque Anhangabaú, local muito famoso nesta época por causa de uma das maiores torcidas brasileiras durante os jogos. É aquela que aparece sempre na TV Globo.

    O Parque não é grande, localizado no centro de São Paulo, cercado de prédios antigos e próximo ao viaduto do Chá. É uma área muito comercial e também turística, com edifícios históricos.

    Chegamos bem cedo com medo de pegarmos muito trânsito, estava tranquilo. Almoçamos em um dos restaurantes mais tradicionais e famosos de São Paulo, o Filet do Moraes (Restaurante Moraes, Rei do Filet, desde 1929). O preço é de cair para trás, comida boa (tinha que ser, né?). Comemos o filet mignon com alho e óleo, custa uma média de 70 reais o prato, sem acompanhamentos.

    O Filet do Moraes é muito bom, mas também com este preço...

    O Filet do Moraes é muito bom, mas também com este preço...

    Esta era a vista de longe, bem antes de começar o jogo do Brasil.

    Esta era a vista de longe, bem antes de começar o jogo do Brasil.

    Depois foi lotando que só vendo. Muito seguro, policiais aos montes.

    Depois foi lotando que só vendo. Muito seguro, policiais aos montes.

    A torcida é muito animada, o duro é aguentar as cornetadas na orelha.

    A torcida é muito animada, o duro é aguentar as cornetadas na orelha.

    O Parque Anhangabaú começou a lotar mesmo meia hora antes do jogo começar. Como era domingo não foi aquela loucura. Achei até bem seguro, organizado, com vários policiais (inclusive revistando na entrada do parque) e as ruas estavam bem limpas.

    O problema destes lugares é a altura. Isso mesmo, a minha altura. Como eu sou baixinha, eu vi uns 10% do jogo e ouvi 100% das cornetas barulhentas no ouvido. Foi interessante para conhecer, mas não recomendo.

    Bem, como todos sabem, o Brasil ganhou de 3 a 1 da Costa do Marfim, o Kaká foi expulso e tudo mais. O que eu realmente não esperava foi que, após o gol da Costa do Marfim, uma pessoa pulou do viaduto. Eu não sei se foi tentativa de suicídio, efeito de alcoolismo ou de drogas e nem se o homem sobreviveu. Esta cena é comum ao paulistano, mas choca qualquer um que é de fora.

    Não ficamos para o show de pagode de algum grupo famoso que ia ter depois do jogo. Aí já é pedir demais.

Todas as Viagens

Comentários

  • João Pedro Benacchio: Pessoal não fui eu quem escreveu esse...
  • Gustavo Woltmann: Lindas imagens da cidade. Fui para Balneário...
  • denise: anonimo já diz covarde , ignorante e preconceituoso, vc...
  • Ken: Caracas…. quanto japa!! Fora vcs dois, o resto era tudo...