News Stories

  • Berliner Bierfestival – Berlim, Alemanha

    Berliner Bierfestival, festival de cerveja do mundo inteiro em Berlim.

    Logo que a gente chegou em Berlim estava acontecendo o evento Berliner Bierfestival 2013, uma espécie de Oktoberfest na Karl-Marx-Allee, no centro da capital alemã. É o mais longo biergarten (corredor com mesas e cadeiras para tomar cerveja ao ar livre) do mundo.

    Foram cerca de 320 cervejarias de 86 países e mais de 2000 cervejas diferentes. Música ao vivo em 18 palcos com bandas ao vivo e comidas típicas alemãs e internacionais.

  • Comidas e bebidas – Leipzig, Alemanha

    No verão, as mesas dos 'biergartens' tomam as ruas do centro de Leipzig.

    O que eu não sabia é que na Alemanha, além das famosas cervejas, eles têm uma variedade de outras bebidas que não são tão conhecidas por nós, brasileiros.

    Nos restaurantes eles servem coquetéis de frutas misturados com água com gás. Eu adorei pelo fato de não ficarem muito adocicados e com um toque gasoso.

    O Apfel Schorle, por exemplo, é uma bebida muito popular na Alemanha. É o suco de maçã já misturado na garrafa com água com gás.

    Döner kebab é uma espécie de lanche turco, muito popular na Alemanha.

    Comida super tradicional alemã: porco à milanesa com salada de batata.

    Flammkuchen é uma espécie de pizza bem fina crocante com recheio.

    Este é o flammkuchen de bacon e cebolinha do restaurante Alex, em Leipzig.

    Fleischkaese é uma espécie de mortadela grossa com legumes. É servida quente.

    O tradicional Bretzel é como o pretzel que temos aqui, mas salgado, tipo pão.

    As bebidas de verão geralmente são de frutas com 'bonaga', a água com gás.

    A bebida da direita é feita com morango, abacaxi, côco e água com gás. Minha preferida.

    Bebida 'Kiba - Kirsch Banane', de cereja e banana. Muito, mas muito boa.

  • Trancoso – Bahia, Brasil

    Estas casinhas coloridas fazem do Quadrado o ponto mais charmoso de Porto Seguro.

    Trancoso é um povoado pertencente à cidade de Porto Seguro, na Bahia. Fomos pela estrada de terra antiga (para matar saudade) e voltamos pela nova (asfaltada).

    Visitamos o Quadrado, onde ficam a igreja e as casinhas coloridas. Tomamos batida de cupuaçu na barraca Itaoca, na Praia dos Coqueiros.

  • Porto Seguro – Bahia, Brasil

    Tôa Tôa, uma das cabanas mais famosas das praias de Porto Seguro.

    De Arraial d’Ajuda pegamos uma balsa (11 reais por 1 carro com 2 pessoas) para atravessar para Porto Seguro. Chegando lá, só alegria.

    Ficamos hospedados no Hotel Costa Verde, praticamente na Passarela do Álcool, onde fica todo o agito da noite. Para ir para a praia a gente ia de carro, principalmente para os lados de Coroa Vermelha, onde estão as melhores cabanas (mais sossegadas).

    Para chegar em Porto Seguro de Arraial d'Ajuda tem que pegar balsa.

    Porção de camarão frito com alho e aipim, na cabana Tôa Tôa.

    Batida de cacau (tem gosto de batida de côco) na barraca Tôa Tôa.

    Lembranças de Porto Seguro nas várias lojinhas da Passarela do Álcool.

    Compramos um berimbau destes por 20 reais.

    Sorveteria Coelhinho (tem em Arraial d'Ajuda também). O coelho pedala de verdade.

    A fruta do cupuaçu, muito usada em sucos e sorvetes no nordeste.

    Cabana Malibu, também muito frequentada na praia de Porto Seguro.

    Restaurante Jamaica Beach Bar, na praia de Porto Seguro.

    A decoração da Jamaica Beach Bar é a mais bonita da praia.

    Porção de carne de sol em um restaurante do Shopping Oceania.

    A melhor comida da viagem toda: moqueca de peixe da Passarela do Álcool.

  • Cervejaria Artesanal Fritz – Monte Verde

    A Fábrica da Cerveja Fritz, em Monte Verde, é aberta ao público para visitas.

    Foi no bar Baden Baden (o mesmo bar da cervejaria artesanal de Campos do Jordão Baden Baden), que fomos saber da Fritz, a cerveja artesanal de Monte Verde. Após alguns chopp, fomos visitar a fábrica que era logo ali pertinho da Avenida Monte Verde, onde estávamos.

  • Chico do Caranguejo – Fortaleza, CE

    Barraca 'Chico do Caranguejo', na Praia do Futuro em Fortaleza, Ceará, Brasil.

    O restaurante-barraca Chico do Caranguejo é o mais agitado da Praia do Futuro, em Fortaleza. Às quintas-feiras a barraca lota, vem gente da cidade inteira para comer caranguejo e dançar forró a noite toda. Comida muito boa, ambulantes vendendo de tudo, de frente para a melhor praia de Fortaleza.

    Arroz de Camarão (tipo risoto) com pirão de caranguejo.

    Batida de cupuaçu com leite condensado no 'Chico do Caranguejo'.

    Quiosques feitos com a palha da carnaúba (folhas). Vimos muito no Ceará.

    Mesmo estando no período do defeso, as lagostas estavam sendo vendidas por ambulantes.

    Humorista local divulgando seu trabalho e vendendo dvds no restaurante.

    E assim finalizamos os posts sobre a nossa viagem de 14 dias no Ceará, uma das nossas melhores viagens no Brasil até agora.

    Tudo deu tão certo, reservas, fizemos tudo o que estava planejado. Até o tempo ajudou muito. Não fomos roubados em Fortaleza (até usei sacola plástica de supermercado ao invés de bolsa) e não pegamos dengue (repelente todos os dias).

    Músicos cearenses tocando na barraca-restaurante Chico do Caranguejo.

    No 'Chico do Caranguejo' é bem seguro, sem perigo de assaltos, muitos funcionários.

    Eu e o Franky, no final de tarde na barraca 'Chico do Caranguejo'.

    Tinha samba também, música para todos os gostos na barraca-restaurante.

  • Onde Comer em Jericoacoara

    A melhor pizza de forno à lenha de Jericoacoara, na Nômade, Pizza & Pastas.

    A cidade de Jericoacoara é constituída praticamente por hotéis, pousadas, restaurantes, lojinhas e outros comércios relacionados ao turismo. Apesar de pequena, existe uma variedade enorme de lugares para se comer. Principalmente na temporada.

    O que pudemos perceber é que mais da metade dos restaurantes são pizzarias. Muitos restaurantes, no final de maio, estavam fechados devido à baixa temporada.

    Fora as pizzarias existem muitos que servem especialidades com frutos do mar. Como estavam vazios, não arriscamos. Não caio mais nessa de ‘ostra fresca’ fora da temporada.

    São vários restaurantes pertencentes às próprias pousadas. Um do lado do outro.

    Todos muito vazios durante o almoço. Movimentados durante à noite.

    Na beira da Praia de Jericoacoara, os hotéis têm seus bares e restaurantes também.

    Na hora do almoço, apenas alguns restaurantes abriam. A maioria funcionava só de noite. Encontramos um bem barato, com ‘prato feito’ com peixe, carne ou frango por 8,50 por pessoa com arroz, feijão, farofa e salada.

    Em Jericoacoara tem vários mercadinhos. A água de côco em um deles é vendida a R$0,99. Eles cortam o côco na hora. Tomávamos o dia todo.

    Prato feito por R$8,50. Era o restaurante mais movimentado durante o almoço.

    O peixe em postas era a melhor opção do 'prato feito'. Bom e barato.

    Nossa pizzaria preferida em Jericoacoara, a Nômade. 1 Caipirinha de graça por pessoa.

    Não sei se é só nessa época, mas recebíamos nas ruas pequenos folhetos e cartões com direito a uma caipirinha de graça em quase todos os restaurantes e pizzarias do local. Resultado: foi pizza todas as noites com caipirinha.

    A melhor pizza de forno à lenha é a da Pizzaria Nômade. A maior e mais barata era a do Pizza Banana. No Restaurante do Sapão tem música ao vivo, MPB, até tarde à luz de velas.

    Olha que sorveteria bonita. 'Gelato e Grano', de frente para a pracinha de Jeri.

    Destaque para o telhado da sorveteria 'Gelato e Grano'. Um charme!

  • Avenida Beira Mar em Fortaleza, CE

    Grande variedade de trabalhos feitos à mão na feirinha da Av. Beira Mar, em Fortaleza.

    A maioria dos hotéis de Fortaleza estão na Av. Beira Mar, na Praia de Meireles.

    Nós ficamos hospedados em uma pousada na Praia de Iracema, a Pousada Dragão do Mar, também próxima à Av. Beira Mar, localização mais perigosa, mas com opções mais baratas. Escolhemos esta pousada porque ficava perto do Centro Cultural Dragão do Mar, Mercado Central de Fortaleza e Av. Beira Mar. Dava para ir tudo à pé, mas evitamos sair à noite.

    Na Av. Beira Mar dá para se passar o dia inteiro. No almoço até de tardezinha os vários quiosques e restaurantes servem refeições na beira da praia. Nós comemos um peixe frito, muito apreciado no nordeste, o pargo.

    Praia de Meireles, em Fortaleza, nas proximidades da Avenida Beira Mar.

    Várias opções de restaurantes com mesas na areia da praia.

    Cerveja Proibida, vendida em Fortaleza. Gostamos, é muito boa.

    Pargo frito, servido com baião de dois, macaxeira e farofa. R$24,90 para 2 pessoas.

    No final da tarde começa a famosa feirinha de artesanato da Avenida Beira Mar. São barracas que somem de vista pelo calçadão com todo o tipo de artesanato local. A feira acontece todos os dias e tem os melhores preços da cidade.

  • Mercado Municipal de São Paulo

    O sanduíche de mortadela do Mercado Municipal é famoso no mundo inteiro.

    Aproveitando a volta de Montevidéu, Uruguai, pelo aeroporto de Guarulhos, resolvemos passar alguns dias em São Paulo.

    Fomos ao Mercado Municipal de São Paulo, ponto turístico brasileiro, especialmente para comer o tradicionalíssimo sanduíche de mortadela do Hocca Bar.

    Os outros lanches são bons também, mas tradicional mesmo é o de mortadela.

    Tivemos que aguardar alguma mesa vazia na hora do almoço.

    Chopp claro ou escuro na promoção. Compre 1 e ganhe outro.

    O bar, que atende desde 1952, fica na parte superior do mercado. Como era hora do almoço tivemos que enfrentar uma fila grande para pegar a senha e aguardar.

    O sanduíche mais pedido e premiado é o Belíssima (15 reais). Camadas exageradas de mortadela Ceratti, queijo e tomate seco. Pedimos também o Combo (16 reais), a versão com carne também. O suco de melancia com hortelã é delicioso.

    Aproveitamos a promoção do chopp (compre 1 e ganhe 1) a partir das 14h. O pastel de bacalhau (12 reais), recheadíssimo e também famoso, ficará para a próxima.

    Como estamos na época das compras para as festas natalinas e ceias, o mercado estava ainda mais cheio. O Mercado Municipal de São Paulo é excelente para compras de frutas secas, castanhas, pimentas, azeites, frutas exóticas, camarão e bacalhau.

  • Bebidas típicas uruguaias

    Clericot é a bebida que eu mais gostei. Uma espécie de sangria com vinho branco.

    Além do vinho uruguaio, a bebida com frutas (abacaxi, laranja e maçã) e vinho branco clericot e o medio y medio, que é a mistura de vinho branco com espumante, fazem sucessso entre os turistas.

    Encontramos nos supermercados uma grande variedade de cervejas alemãs por preços bem mais baixos do que são vendidas no Brasil. A Franciscana, cerveja alemã weissbier, por exemplo, estava por uns 5 reais nas prateleiras do Geant (supermercado grande uruguaio), um pouco mais cara que as locais uruguaias.

    Taça de medio y medio no Mercado do Puerto. A bebida é vendida pronta em garrafas.

    Preços muito bons nas cervejas alemãs, em grande variedade nos supermercados.

    O que achamos interessante foram os ‘vinhos longa-vida’ de 1 litro. Nos maiores supermercados de Montevidéu há uma variedade de uns 20 vinhos diferentes neste estilo. Eu já tinha visto vinho chileno ser vendido nos Estados Unidos em caixas de 3 ou 5 litros com uma torneirinha acoplada, mas nunca em embalagens de leite longa vida. E é bem baratinho.

    Vinhos de 1 litro em embalagens longa vida, iguais às de leite. Baratíssismos.

    Água com gás de 1,5 litro da marca Salus. Custa quase o mesmo preço da garrafinha.

    A água da Salus é considerada muito boa, principalmente a água com gás. E outros produtos da mesma marca, como o suco de maçã e outras frutas que tivemos o prazer de experimentar na capital uruguaia e Punta del Este.

    Cerveza Zillertal, a cerveja uruguaia que tomamos em Punta del Este. Muito boa.

  • Seropédica – Rio de Janeiro

    Tiago segurando a acelga chinesa (uma das espécies plantadas), sua verdura preferida.

    Na casa da Fabi (minha irmã) e do Tiago em Seropédica, no Rio de Janeiro, vimos a horta deles (muito melhor e mais bem cuidada que a nossa), as plantas, coleção de cactos, parafernália para fazer a cerveja artesanal (tomamos muitas), coleção de cuias de coités trazidos da Amazônia, armadilhas em miniaturas para animais de grande porte e tivemos até aulas sobre agricultura de subsistência.

    Fabi explicando detalhadamente sobre as plantas que eles na casa (em Seropédica).

    Comemos uma saladona feita destas verduras da horta. Estava uma delícia.

    Tambores que fazem parte do kit da cerveja artesanal. É bem difícil de se preparar.

    Cuias de coité trazidos da Amazônia. Elas são pintadas com a casca de uma planta.

    Coleção de cactos do Tiago.

    Peixe feito de palha. Bem legal, um dia vamos tentar fazer um destes.

    Aprendemos também a fazer refrigerante/champagne artesanal. Vamos tentar fazer o de limão na chácara, não sei se vai dar certo. Se der, vamos preparar um mojito especial.

  • Lapa – Rio de Janeiro

    Arte de Selaron, na Lapa, Rio de Janeiro, feito com retalhos de ladrilhos do mundo inteiro.

    O voo da Passaredo foi aprovado, apesar do atraso de 20 minutos que foi compensado pela Skol gelada servida durante o voo e os bolinhos de laranja e crackers. O avião era bem pequeno e novo, gostei. De São José do Rio Preto ao Rio de Janeiro em 1 hora e 20 minutos.

    Chegamos no aeroporto Santos Dumont e fomos direto para a Lapa. Passeamos pelas escadarias coloridas do Selaron e depois fomos tomar cerveja com croquetes de siri e bacalhau no bar Antonio’s.

  • São José do Rio Preto – Rio de Janeiro

    A Passaredo é uma das poucas companhias aéreas que tem voo direto daqui de Rio Preto.

    Chegou a hora de experimentar os serviços da Passaredo.

    Superpromoção de voo para duas pessoas, ida e volta, com todas as taxas inclusas, por R$ 309,78, diretamente pelo site da companhia aérea Passaredo. Mais barato e muito melhor do que ir de ônibus Reunidas Paulista. A maior economia foi no tempo. Ao invés de levarmos 13 horas para chegar no Rio, vamos levar apenas 1h20.

    Uma dica é pesquisar em sites como o Submarino Viagens ou Americanas para ver o melhor preço, data e a companhia aérea. Nem sempre, mas muitas vezes, reservar diretamente pelo site da companhia aérea sai mais barato. Eu paguei uns 70 reais a menos reservando pela Passaredo.

    A viagem vai ser curta, é para visitar a minha irmã, que mora no Rio de Janeiro, e aproveitar o feriado (quando eles estão de folga). Aliás, nem é na capital, é em uma cidadezinha chamada Seropédica, onde ela dá aulas e mora com o namorado (que também dá aulas na faculdade, de biologia).

    Nunca fomos para Seropédica. Nunca nem tinha ouvido falar na cidade antes da minha irmã se mudar para lá. Queremos ver o kit de cervejas artesanais que o Tiago (namorado da minha irmã) comprou. Está engarrafando cervejas de vários tipos. Já fizeram a Weissbier (ficou boa) e a tipo Franciskaner (não ficou muito boa).

  • Sessão: Comidas & Bebidas

    Já testamos a maioria das receitas interessantes do livrinho da máquina de pão.

    Para resumir este mês de maio, que já está quase acabando, algumas fotos de comidas e bebidas. Foi churrasco, peixada na brasa, pizza, muitos pães, bolos e bebidas incrementadas.

    Ao contrário de abril, este mês nem vimos passar. Mas está passando. Os quilos da balança mostram.

    É que tivemos que testar a máquina de pão (compramos o modelo Britânia, pelo site da C&C, por 189 reais na promoção de quinta-feira à noite). Muito boa e prática, gostamos muito. Só o livrinho de receitas que vem junto que é meio fajuto, com vários erros, inclusive de ingredientes.

    Este pão fica ótimo, bem fofinho, com manjericão fresco daqui da chácara.

    O chocolate granulado derreteu demais. Ficou um bolo formigueiro 'depois da chuva'..

    Pizza sabor 'o que tiver na geladeira'. Tiramos foto só antes de assar.

    As melhores receitas (mais de 100, no livrinho) são até agora: pão francês (com mais azeite), pão pesto (com manjericão), bolo de limão e bolo formigueiro. Fizemos pizza também e até que deu certo, com alguns ‘pós-ajustes’ na massa. Pão com iogurte não deu certo, ficou uma argamassa compacta horrível.

    As bebidas foram por conta do Sílvio que carrega todo o ‘apetrecho alcoólico’ no porta-malas do carro e fez aniversário este mês, motivo das nossas comilanças extras.

    Bebida White Russian, feita com licor de café e creme de leite.

    B-52 com 3 bebidas. O Amaretto pode ser substituído por Cointreau também.

    E o clássico Blood Mary, para poucos. A maioria não gosta. Eu gosto.

    Ah, e fomos assistir Thor (muito bom) e Piratas do Caribe este mês. Que cena aquela do Jack Sparrow saindo amarrado de cima do coqueiro, hein? Que coisa mais mal feita. E a deles atravessando o ‘portal de água’ e chegando com as roupas secas?

    Ultimamente estamos com preguiça até de pensar em viajar. As viagens estão sendo de fundo de quintal com uma paradinha na rede de manhã, no sol, para esquentar. Deixa o inverno e as férias de julho passarem. Ali, em agosto, mais ou menos, na época menos temporada, a gente coloca as nossas malinhas de fora.

  • Comidas mais Saudáveis

    Fomos ontem no curso de culinária aprender a fazer comida mexicana saudável.

    Continuando a minha ‘investigação’ sobre os alimentos nos Estados Unidos, assisti recentemente os documentários sobre o assunto: ‘Food Inc.’, ‘Fed Up!’, ‘Food Matters’ e ‘The Future of Food’. Eu já tinha visto ‘Super Size Me’ e outros.

    Este estudo sobre a alimentação americana está sendo uma das maiores descobertas desde que eu moro nos Estados Unidos, faz 6 anos. Estes filmes mostram o porquê dos americanos estarem obesos, o monopólio das indústrias alimentícias, a baixa qualidade das carnes em geral e como funciona todo o sistema do Fast Food, barato e tóxico dos Estados Unidos.

    Eu comecei até a me interessar sobre a alimentação vegetariana e vegana. Estamos aprendendo sobre os principais conceitos aos poucos com a ajuda das aulas de culinária oferecidas pelo supermercado de produtos naturais aqui no Havaí, o Down to Earth. O Franky vai que nem criança que não quer tomar vacina. Ontem aprendemos a fazer enchilada (uma espécie de panqueca mexicana) com salada e molho.

    Desde que eu moro aqui eu tenho me preocupado muito com a alimentação. Este foi um dos fatos que eu procurei sempre trabalhar em restaurantes relacionados com comidas mais saudáveis. Trabalhei no Subway (que não é lá muito saudável, mas melhor que McDonalds) e em um restaurante japonês, o Sushiology, onde fiquei por 2 anos e onde eu almoçava todos os dias.

    Nestes 6 anos aqui eu sempre me preocupei em comer cereais (matinais e aveias), que na minha opinião é muito prático, o melhor café da manhã. Aqui no Havaí eu introduzi leite de soja ao invés do leite de vaca. Eu experimentei os leites de côco e amêndoas, mas não gostei muito, achei muito aguado.

    Eu já experimentei a versão original e baunilha do leite de amêndoas.

    O leite de côco parece ser muito mais saboroso do que realmente é.

    Morar nos Estados Unidos requer certos cuidados com a saúde. Conheço muitos brasileiros que vieram para cá e se tornaram obesos em questão de 1 ou 2 anos. A carne aqui é muito mais gordurosa, cheia de hormônios. Os vegetais são cheios de agrotóxicos, muito mais que no Brasil. Os alimentos geneticamente modificados e de alto índice calórico lotam as prateleiras dos supermercados.

    O problema dos americanos vai muito além. Eu vou citando aos poucos, para amenizar o ‘terror’. Viajar é conhecer tudo o que o lugar tem de bom e de ruim. É ver de perto os costumes e os problemas das pessoas, interagir e tirar suas próprias conclusões.

Todas as Viagens

Comentários

  • João Pedro Benacchio: Pessoal não fui eu quem escreveu esse...
  • Gustavo Woltmann: Lindas imagens da cidade. Fui para Balneário...
  • denise: anonimo já diz covarde , ignorante e preconceituoso, vc...
  • Ken: Caracas…. quanto japa!! Fora vcs dois, o resto era tudo...