News Stories

  • Avenida Beira Mar em Fortaleza, CE

    Grande variedade de trabalhos feitos à mão na feirinha da Av. Beira Mar, em Fortaleza.

    A maioria dos hotéis de Fortaleza estão na Av. Beira Mar, na Praia de Meireles.

    Nós ficamos hospedados em uma pousada na Praia de Iracema, a Pousada Dragão do Mar, também próxima à Av. Beira Mar, localização mais perigosa, mas com opções mais baratas. Escolhemos esta pousada porque ficava perto do Centro Cultural Dragão do Mar, Mercado Central de Fortaleza e Av. Beira Mar. Dava para ir tudo à pé, mas evitamos sair à noite.

    Na Av. Beira Mar dá para se passar o dia inteiro. No almoço até de tardezinha os vários quiosques e restaurantes servem refeições na beira da praia. Nós comemos um peixe frito, muito apreciado no nordeste, o pargo.

    Praia de Meireles, em Fortaleza, nas proximidades da Avenida Beira Mar.

    Várias opções de restaurantes com mesas na areia da praia.

    Cerveja Proibida, vendida em Fortaleza. Gostamos, é muito boa.

    Pargo frito, servido com baião de dois, macaxeira e farofa. R$24,90 para 2 pessoas.

    No final da tarde começa a famosa feirinha de artesanato da Avenida Beira Mar. São barracas que somem de vista pelo calçadão com todo o tipo de artesanato local. A feira acontece todos os dias e tem os melhores preços da cidade.

  • Mercado Municipal de São Paulo

    O sanduíche de mortadela do Mercado Municipal é famoso no mundo inteiro.

    Aproveitando a volta de Montevidéu, Uruguai, pelo aeroporto de Guarulhos, resolvemos passar alguns dias em São Paulo.

    Fomos ao Mercado Municipal de São Paulo, ponto turístico brasileiro, especialmente para comer o tradicionalíssimo sanduíche de mortadela do Hocca Bar.

    Os outros lanches são bons também, mas tradicional mesmo é o de mortadela.

    Tivemos que aguardar alguma mesa vazia na hora do almoço.

    Chopp claro ou escuro na promoção. Compre 1 e ganhe outro.

    O bar, que atende desde 1952, fica na parte superior do mercado. Como era hora do almoço tivemos que enfrentar uma fila grande para pegar a senha e aguardar.

    O sanduíche mais pedido e premiado é o Belíssima (15 reais). Camadas exageradas de mortadela Ceratti, queijo e tomate seco. Pedimos também o Combo (16 reais), a versão com carne também. O suco de melancia com hortelã é delicioso.

    Aproveitamos a promoção do chopp (compre 1 e ganhe 1) a partir das 14h. O pastel de bacalhau (12 reais), recheadíssimo e também famoso, ficará para a próxima.

    Como estamos na época das compras para as festas natalinas e ceias, o mercado estava ainda mais cheio. O Mercado Municipal de São Paulo é excelente para compras de frutas secas, castanhas, pimentas, azeites, frutas exóticas, camarão e bacalhau.

  • Bebidas típicas uruguaias

    Clericot é a bebida que eu mais gostei. Uma espécie de sangria com vinho branco.

    Além do vinho uruguaio, a bebida com frutas (abacaxi, laranja e maçã) e vinho branco clericot e o medio y medio, que é a mistura de vinho branco com espumante, fazem sucessso entre os turistas.

    Encontramos nos supermercados uma grande variedade de cervejas alemãs por preços bem mais baixos do que são vendidas no Brasil. A Franciscana, cerveja alemã weissbier, por exemplo, estava por uns 5 reais nas prateleiras do Geant (supermercado grande uruguaio), um pouco mais cara que as locais uruguaias.

    Taça de medio y medio no Mercado do Puerto. A bebida é vendida pronta em garrafas.

    Preços muito bons nas cervejas alemãs, em grande variedade nos supermercados.

    O que achamos interessante foram os ‘vinhos longa-vida’ de 1 litro. Nos maiores supermercados de Montevidéu há uma variedade de uns 20 vinhos diferentes neste estilo. Eu já tinha visto vinho chileno ser vendido nos Estados Unidos em caixas de 3 ou 5 litros com uma torneirinha acoplada, mas nunca em embalagens de leite longa vida. E é bem baratinho.

    Vinhos de 1 litro em embalagens longa vida, iguais às de leite. Baratíssismos.

    Água com gás de 1,5 litro da marca Salus. Custa quase o mesmo preço da garrafinha.

    A água da Salus é considerada muito boa, principalmente a água com gás. E outros produtos da mesma marca, como o suco de maçã e outras frutas que tivemos o prazer de experimentar na capital uruguaia e Punta del Este.

    Cerveza Zillertal, a cerveja uruguaia que tomamos em Punta del Este. Muito boa.

  • Cerrado em Rio Preto

    Delícias do Cerrado. Sorvetes que resgatam a riqueza do cerrado brasileiro.

    Compramos ontem no Groupon 12 picolés + 5 potinhos de sorvete de massa, de R$ 39,00 por R$ 19,50, na Delícias do Cerrado em São José do Rio Preto (a oferta já acabou).

    Vou é precisar do Google para escolher os sabores. O de gengibre eu não quero.

    Picolés: 51 sabores: araticum, bocaiuva, buriti, cagaita, caju, coco de guariroba, guavirá, jatobá, mangaba, muriá, mutamba, pequi, taperebá, abacate, abacaxi, abacaxi ao leite, abóbora com coco, açaí, amendoim, banana, café expresso, cajamanga, chocolate, coalhada, coco branco, coco queimado, cupuaçu, goiaba, graviola, groselha, gengibre, jabuticaba, jaca, kiwi, leite condensado, limão, mamão papaia, manga, maracujá, melancia, milho verde, morango, queijo, romeu e julieta, soja morango, soja chocolate, soja baunilha, tamarindo, umbu e uva.

    Potinhos: 36 sabores: abacate, abacaxi, abacaxi francês, açaí, ameixa, amendoim, araticum, baunilha branca, bocaiuva, buriti, cajamanga, chocolate, chocolate branco, coco branco, coco queimado, creme, cupuaçu, flocos, graviola, jabuticaba, kiwi, leite condensado, limão, mamão papaia, manga, mangaba, maracujá, milho verde, morango, murici, passas ao rum, pequi, prestigio, romeu e julieta e uva.

  • Cultura Inútil: Nutella

    Agora eu faço parte das pessoas normais, que comem Nutella com pão.

    É engraçado que no Brasil quase me mataram porque eu nunca tinha experimentado Nutella. Foram pelo menos 4 pessoas comentando algo sobre o ‘fabuloso’ Nutella. Ouvi até sobre misturas em batidas alcoólicas.

    Se é que existe alguém que nunca experimentou, Nutella é uma pasta de chocolate com avelã que já existe há muito tempo e só começou a ser falado ‘com intensidade’ agora, no Brasil (ou eu é que fiquei fora por muito tempo?).

    Segundo o Wikipédia, existe desde 1949, quando foi inventado na Itália. No Brasil o Nutella é comercializado pelas empresas Ferrero Rocher e Kinder Chocolates. Eu achava que era uma versão do Io-iô Crem, nunca tinha dado muita atenção.

    Perfeito para comer com pão, no Kailua Beach Park, de frente para a praia.

    Mas não exagere na camada, senão fica 'doce de doer'. Não mata, só engorda.

    O Franky falou que na Alemanha todo mundo come com pão no café da manhã. É que nem aqui nos Estados Unidos que o pessoal come pasta de amendoim (peanut butter). Será que no Brasil o mais tradicional é margarina com pão? Eu sei que versões do Io-iô Crem e Amendocrem vivem aparecendo e desaparecendo nos supermercados brasileiros.

    Bem, o Franky não gosta porque é ‘muito doce’ (tudo para ele é muito doce) e muito comum na Europa. Eu gostei, mas achei um pouco enjoativo quando se come de colherada (igual ao peanut butter). É definitivamente delicioso misturado com alguma coisa. Quero ver se descubro umas receitas boas.

    Compramos o pote de 13oz (371g) por 7 dólares aqui no Havaí. O Nutella é comercializado em diferentes tamanhos dependendo do país. E a receita varia um pouco também. No pote diz: feito com mais de 50 avelãs por pote. 100 calorias por colher, metade de gordura.

  • Churrasco na Praia

    O parque tem uma área reservada para churrasco e uma vista maravilhosa.

    O parque tem uma área reservada para churrasco e uma vista maravilhosa.

    Completamos 2 semanas desde que saímos do Brasil. O tempo até que está passando bem rápido. Hoje fizemos nosso primeiro churrasco na praia. Não tínhamos pressa, uma vez que já sabemos todo o esquema. Compramos as coisas aos poucos, funcionou tudo bem.

    Desta vez não compramos uma churrasqueira descartável porque não tinha mais no Walmart. Compramos uma portátil reusável mesmo (a descartável era mais barata e a gente usou várias vezes). Custou 10,99 dólares no Don Quijote. É do estilo hibachi, churrasco japonês, muito prática.

    A churrasqueira é esquisitinha assim mesmo, com 2 grelhas. Funciona.

    A churrasqueira é esquisitinha assim mesmo, com 2 grelhas. Funciona.

    O parque é muito sossegado, diferente do tumulto de Waikiki.

    A gente faz churrasco e assiste o pessoal praticando canoagem.

    O nosso lugar favorito aqui é o mais perto de casa (pela conveniência). O Kailua Beach Park é ótimo e dá até para ir à pé (é claro que não fomos, agora que temos carro).

    Compramos picanha, que é a carne mais barata aqui nos Estados Unidos, mais barata que frango. No supermercado que a gente comprou, o Foodland, estava em promoção. Eles cortam toda a gordura da carne neste supermercado, então acaba saindo ainda mais barato. A gente não come a gordura mesmo.

    Estávamos pensando no motivo da picanha ser tão desvalorizada aqui. Deve ser porque americano faz churrasco principalmente com linguiça e hambúrguer, não faz muito com ‘carne de verdade’. E para fazer na cozinha de casa a picanha é muito gordurosa, serve mais para ser feita mesmo na churrasqueira. Sei lá, deve ser por isso.

    O melhor é ter que tomar cerveja ‘escondido’ na praia. A gente está usando uns copinhos de Natal, em promoção, daqueles de plástico com temas natalinos. Todo mundo toma, mas sempre nestes copos que não são tão óbvios. Afinal, quem é que faz churrasco sem cerveja?

    Hoje eu estava ouvindo MPB. Descobri uma cantora muito boa, que o Brasil todo deve conhecer menos eu, a Maria Gadú. Ela começou a fazer mais sucesso nos últimos 2 anos, fez uns shows com o Caetano Veloso. Música excelente, me lembra um pouco o estilo da Cássia Eller. Adorei a versão cover do ‘Killing me Softly‘.

  • Flor de Pitaia

    A flor da pitaia é também conhecida como Flor-da-Lua ou Dama-da-Noite.

    A flor da pitaia é também conhecida como Flor-da-Lua ou Dama-da-Noite.

    Desde que a gente resolveu morar aqui na chácara em Guapiaçu a gente ouve meus pais falarem na planta pitaia. Os frutos da pitaia devem ser os favoritos dos meus pais.

    Hoje foi a primeira vez que nasceu uma flor desta planta desde que estamos aqui. Aliás, duas. São brancas, enormes, devem ser meio adocicadas porque as abelhas adoram ficar dentro das pétalas. A pitaia é uma espécie de cacto-trepadeira. A gente tem vários pés espalhados pela chácara.

    O bom desta planta é que não precisa ficar aguando muito. Apesar de ela se desenvolver melhor em clima mais fresco e úmido, ela se adapta em lugares como o sertão da região de São José do Rio Preto. E olha que aqui é quente.

    Para plantar também é muito fácil. É só cortar um pedaço do cacto, enfiar na terra e deixar. É claro que se aguar todos os dias a planta cresce muito mais rápido e mais bonita.

    As frutas, segundo o Wikipédia, podem ser de 3 tipos um pouco diferentes, com uma polpa branca ou vermelha, cheia de sementes pretas, parecidas com gergelim. Elas têm gosto de melão, devem ser gostosas. As pitaias podem ser de flores brancas ou vermelhas.

    O melhor desta fruta que, além de gostosa, é bem nutritiva. Vi na internet que são usadas para dietas, regimes, pois têm baixa caloria, e tratamentos de estômago e rins. São antioxidantes também.

    Infelizmente não vamos ter a oportunidade de experimentar estas frutas da pitaia ainda este ano, pois já estamos de mudança para o Havaí.

    Estes dias aqui na chácara estão tão quentes que não dá vontade de fazer nada. Nem de pensar em bagagens de viagem, nem comprar as passagens para São Paulo. Na verdade estamos é com preguiça. Já que estamos no Brasil ainda, vamos seguir a tradição e deixar tudo para a última hora. Sempre deu certo.

  • Rabanete Power

    Um super rabanete, cultivado aqui mesmo, na pacata cidade do interior paulista.

    Um super rabanete, cultivado aqui mesmo, na pacata cidade do interior paulista.

    Essa mereceu foto! Olhem o tamanho do rabanete que estão crescendo aqui na chácara em Guapiaçu com as sementes que plantamos. Não são todos que crescem deste tamanho, mas já dá para sentir o ‘potencial leguminoso’ dos rabanetes.

    Para a primeira experiência como pequenos agricultores até que a gente não se saiu tão mal. Temos verduras todos os dias nas refeições. As alfaces estão crescendo agora, mas a gente plantou meio errado, todos os pés bem pertinhos uns dos outros, não vai ter espaço o suficiente se a gente não matar alguns deles. Dá dó, mas teremos que eliminar a maioria.

    Para fazer horta é necessário cuidado diário, aguar pelo menos 1 vez por dia e colocar bastante adubo. É preciso preparar bem a terra antes de plantar também e planejar onde vai ficar cada semente (coisa que não fizemos). Aí é só esperar e colher. A única coisa é que quando começa a nascer é tudo junto. O perigoso é enjoar das verduras e legumes. A minha irmã e o namorado dela não aguentam mais comer cenoura todos os dias. E os tomates viram molhos congelados, lotando o congelador.

    Pena que esses posts rurais vão acabar por algum tempo. Estaremos em breve do outro lado do mundo, comprando estes mesmos legumes e verduras por um preço abusivo no Hawaii. É que a mão de obra lá é muito cara. Na feira, as verduras chegam a custar um absurdo. A gente acaba nem comprando. Sai mais barato comprar verduras de saquinho, lavadas já, do que verduras frescas na feira. A gente comprava direto a rúcula em pacotinho nos supermercados.

    O abacaxi mesmo, que é o símbolo do Hawaii, custa 5 dólares na promoção. E nem é melhor que o abacaxi pérola do Brasil. O Franky mesmo não acha que o tão famoso abacaxi de Maui seja melhor do que o do Brasil, baratíssimo. A gente acha tudo caro por lá porque o clima do Hawaii é bem parecido com o do Brasil, os legumes e verduras são praticamente os mesmos, só mudam os preços.

  • Céu de Brigadeiro

    O que é um céu de brigadeiro para você?

    O que é um 'céu de brigadeiro' para você?

    Hoje eu recebi um email do meu tio Tadao dizendo que em Campos do Jordão estava muito frio e que hoje amanheceu com um ‘céu de brigadeiro’. Mas que diabos é ‘céu de brigadeiro’ que eu nunca ouvi falar?

    Tive até que procurar no Google. ‘Céu de brigadeiro’, segundo o Yahoo! Respostas é céu limpo, azul e sem nuvens, uma expressão usada pela aeronáutica desde os anos 60.

    Quando eu li eu imaginei um céu com cor de chocolate cremoso chovendo chocolate granulado, achei muito bom para ser verdade. Eu logo pensei que o meu tio tinha é muita sorte de estar em Campos do Jordão numa hora destas. Eu é que queria um céu destes para mim.

    Bem, o tempo aqui também está bem frio (à tarde esquenta), sem chuvas e com muito vento de manhã. A previsão do tempo continua maluca, eu até parei de ficar conferindo toda hora. Se chover, choveu.

    Hoje fizemos nossa primeira salada de rúcula, ficou ótima com palmito, tomate, hortelã (também aqui da chácara), limão (chácara) e azeite. Esperamos até agora para colher as rúculas para elas atingirem o tamanho máximo. Quem sabe na próxima vez a gente usa algum tomate daqui.

    Hoje foi feriado, mas nem parece. Muito silencioso por aqui, nenhum barulho de vizinhos, acho que foi todo mundo viajar, não sei não. Feriado a gente nunca viaja se não for realmente necessário. Ninguém merece o congestionamento das estradas e a super-lotação das cidades turísticas. Viajar, se possível, é melhor em dias da semana. Quanto menos movimento, melhor.

    Amanhã é a cirurgia de catarata do meu pai, o segundo olho. Aí fica livre de vez, ainda bem. Coisa desagradável tem que fazer logo, para se livrar de vez. É como tomar um xarope amargo ou arrancar um esparadapro.

    E esperar pelo céu de brigadeiro.

  • Coité, a planta do norte e nordeste

    Coité, a planta do nordeste que enfeita e possui várias outras utilidades.

    A planta ornamental coité possui várias outras utilidades além de enfeitar.

    No Wikipédia você encontra tudo, menos a palavra coité. Ela é conhecida também por cuieira ou cojuba. Mas nenhuma destas palavras estão no Wikipédia. É a primeira vez que eu não encontro o que procuro neste site.

    O coité é uma planta com frutos enormes e redondos. São umas bolas verdes, do tamanho de uma bola de basquete e ficam penduradas na árvore. Aqui na chácara tem. Quando meus pais compraram a chácara, faz mais de 12 anos, já tinham plantadas, pois os antigos donos (nossos vizinhos hoje) são do nordeste.

    Temos esta planta excêntrica plantada aqui na chácara em Guapiaçu.

    Temos esta planta excêntrica plantada aqui na chácara em Guapiaçu.

    Ela está em um local de destaque, bem perto do portão da entrada da chácara.

    Ela está em um local de destaque, perto do portão da entrada da chácara.

    Pesquisando na internet, eu encontrei uma matéria antiga do Globo Rural de 2007 falando desta planta do norte e nordeste do país. A planta dá frutos o ano inteiro e é nativa das zonas tropicais da América.

    ‘Ela tem vários usos. Por exemplo, os índios da região amazônica usam para tomar o caxiri. Em outras áreas também se usa para tomar banho, inclusive e tem outras utilidades como o artesanato, além de ser uma planta usada na medicina alternativa como as folhas que são usadas como diurético.

    Em Belém do Pará, é uma coisa muito típica e muito utilizada na região amazônica, a cuia para servir o tacacá. A flor é grande arroxeada e típica dessa planta que é abignoneácea, semelhante ao ipê roxo, ipê amarelo, são plantas da mesma família’.

    A ‘bola’ também é usada para fazer o berimbau, o instrumento musical da capoeira na Bahia. Suas folhas são usadas para fazer xaropes. Fiquei sabendo também que as sementes são comestíveis depois de torradas ou cozidas.

    Um dia destes a gente experimenta as sementes. Para fazer a tal da cuia basta tirar uma das bolas do pé quando estiver amarelada e deixar na sombra por 5 dias até a casca secar. Cortar no meio, tirar a polpa de dentro, secar e pronto.

    Vamos tentar fazer a cuia. Quem sabe ela não combina com as nossas saladas orgânicas que estamos plantando? Vai ser o máximo preparar uma salada inteira cultivada aqui, colocar nas cuias de coité e depois lavar a ‘louça’ com as buchas daqui na chácara. Estamos parecendo índio.

  • A Coelha Cinza

    A coelha cinza é o nosso animal de estimação mais fácil de cuidar.

    A coelha cinza é o nosso animal de estimação mais fácil de cuidar.

    Quando a gente era pequena, eu e a minha irmã, a gente criava coelhos. Tivemos um coelho branco de olhos vermelhos, uma preta com defeito na perna e outras duas que eu não me lembro mais.

    A coelha preta teve até filhotes dentro da casa da minha cachorra Lili que já morreu faz tempo. A gente não sabia que ela estava grávida e nem sabíamos que ela poderia procriar sendo aleijada. Ficamos todos surpresos com a cria da coelha preta, distribuímos os filhotes para os amigos.

    Nunca fui muito apegada a coelhos. Estes que a gente tinha na infância não eram tão amigáveis, eles não se aproximavam muito, eram mais selvagens. A coelha cinza é diferente.

    Eu não sei se os coelhos ficaram mais mansos daquela época ou é somente coincidência. Porque com o tempo as gerações dos animais domésticos vão mudando. A mesma coisa com os porquinhos-da-índia. São tão domésticos que seriam incapazes de viverem sozinhos na natureza.

    A coelha cinza que estamos criando agora é muito mansa. Ela não tem medo de a gente pegar no colo, come as comidas que a gente dá na nossa mão. As porquinhas são mais medrosas. Hoje a gente deixou ela solta na chácara andando pelas plantas. Depois colocamos as porquinhas também. Elas pulavam de alegria.

    Até tive vontade de comprar um coelho macho e um porquinho-da-índia macho para fazerem filhotes com as nossas fêmeas. Estes roedores se reproduzem tanto que encheriam a chácara inteira de coelhos e porquinhos-da-índia soltos na grama. Desisti da idéia quando me lembrei dos gatos das chácaras vizinhas.

    Nem sinal das sementes que plantamos aparecerem na terra. É sempre esta eterna briga com o tempo.

  • Raquete de Matar Pernilongos

    A primeira vez que eu vi a raquete eu achei que não funcionava.

    A primeira vez que eu vi a raquete eu achei que não funcionava.

    Aqui na região de São José do Rio Preto tem muito pernilongo, mesmo no inverno. A gente tem sempre em casa vários inseticidas, espirais verdes com veneno (tipo incenso), aparelhos de ligar na tomada, repelente e toda receita caseira de espantar estes mosquitos.

    Meu pai comprou uma raquete que dá choque nos malditos pernilongos. Você ‘pesca’ eles no ar, a raquete dá um estralo e mata o pernilongo. É engraçado, a raquete acende uma luz azul para atrair os insetos à noite.

    Eu vi no centro de Rio Preto, naquelas lojas do calçadão de R$1,99, tem para vender. Meu pai diz que as raquetes de recarregar na tomada são melhores das que usam pilhas porque são mais econômicas.

    É até meio sádico. O pernilongo encosta na rede e morre assado.

    É até meio sádico. O pernilongo encosta na rede e morre eletrocutado.

    A que a gente tem é da marca Albatroz, mas existem outras também.

    A que a gente tem é da marca Albatroz, mas existem outras também.

    Testamos aqui na chácara em Guapiaçu e funciona muito bem. À noite a gente mata todos os mosquitos e pernilongos de dentro da casa. Além de matar os pernilongos ainda faz com que a nossa cachorrinha pare de choramingar na porta de casa: ela morre de medo do barulho e vai direto para a casinha dormir.

    O meu sonho sempre foi encontrar um lugar aqui no Brasil com a temperatura entre 27 a 32 graus Celsius o ano todo, sem enchentes e sem pernilongos. Seria o paraíso. Mas, pelo visto, não existe.

    Estas raquetes devem ser perfeitas para viagens. Sempre que a gente vai para a praia, pousadas e camping sempre tem aqueles pernilongos à noite. Esta raquete-assassina funciona melhor quando está tudo escuro, não sobra uma alma viva. Na barraca deve ser tiro e queda.

    Se depender de nós este mundo terá menos pernilongos. Temos medo dos vizinhos aqui da chácara acharem estranho a gente com a raquete de tênis iluminada à noite, rebatendo o ar sob as nossas cabeças. Vão achar que somos lunáticos, no mínimo.

  • Odontologia do Sesi

    Fachada da Unidade Odontológica do Sesi de São José do Rio Preto

    Fachada da Unidade Odontológica do Sesi de São José do Rio Preto

    Foi durante o  FIT (Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto) que eu fiquei sabendo do serviço odontológico do Sesi. Enquanto a gente esperava nas filas para os espetáculos eu pegava os folhetos da entrada para passar o tempo e fiquei sabendo que o Sesi tinha dentista.

    O mais interessante não é somente o fato de ter odontologia no Sesi, e sim o fato do serviço ser aberto a toda comunidade, ou seja, você não precisa ser sócio do Sesi ou trabalhar na indústria para usufruir do serviço odontológico. O Sesc, por exemplo, é restrito apenas aos sócios comerciários.

    Eu sempre detestei dentista. Quando eu era pequena eu mordia a mão da dentista que ia reclamar com a minha mãe depois. Um terror. Mas infelizmente uma visita por ano é fundamental. Principalmente para quem não gosta de dentista. Assim, se tiver cárie, pelo menos será pequena.

    Nos últimos anos eu tenho tido muito cuidado em escovar os dentes 2 ou 3 vezes ao dia (o ideal seria após todas as refeições, mas eu como o dia inteiro) e passar o bendito fio-dental todas as noites (mesmo acampando ou dormindo no carro no meio da montanha). Valeu a pena: nenhuma cárie. Fiz somente a profilaxia rotineira (limpeza nos dentes).

    O Franky (que é menos cuidadoso com os dentes) teve cárie. O Sesi cobra bem mais barato que os dentistas comuns. E tem um serviço excelente e materiais de primeira. Só para se ter uma idéia, o tratamento da cárie custa R$50,50 cada (restauração com resina branca), a profilaxia (limpeza de tártaro e jato de bicarbonato de sódio) custa R$36,00.

    Enfim, estamos muito satisfeitos com o serviço odontológico do Sesi. Muita gente não conhece, muita gente tem preconceito. Não precisa marcar com muita antecedência (no máximo 1 semana antes), o orçamento é gratuito e nós recomendamos.

  • Guapiaçu no Google Maps

    O mapa de Guapiaçu é em branco no Google Maps, só mostra o nome da cidade.

    O mapa de Guapiaçu é em branco no Google Maps, só mostra o nome da cidade.

    É a primeira vez que moramos em um lugar que não consta no Google Maps. Guapiaçu é uma cidadezinha bem do lado de São José do Rio Preto (que está no mapa).

    Observando cuidadosamente o Google Maps aparece Rio Preto com todas as ruas detalhadas, avenidas e principais pontos da cidade e ao redor tudo em branco, apenas com o nome das cidades pequenas da redondeza.

    São José do Rio Preto tem hoje mais de 400 mil habitantes. Guapiaçu tem menos de 18 mil. É uma grande diferença. Aqui é exatamente aquelas cidades que tem a igreja, a praça, algumas lojinhas e só. Não conhecemos o centro de Guapiaçu ainda, mas pretendemos.

    Ontem foi a primeira noite que dormimos na chácara aqui em Guapiaçu. Aqui todo mundo dorme cedo. Assim que anoitece fica tudo escuro e silencioso. Apenas alguns latidos de cachorros da vizinhança. A gente acorda com os galos que cantam antes mesmo de amanhecer.

    Hoje vamos testar dormir com a Lua aqui na chácara. Meus pais trouxeram a cachorrinha hoje, no churrasco que fizemos. Seria bom ela acostumar aqui e lá em Rio Preto, na casa dos meus pais. Ainda mais porque ela vai ser castrada nas próximas semanas.

    Li na internet que é bom castrar os filhotes antes de entrar no primeiro cio, ou seja, em menos de 6 meses. Ela está com quase 5 meses. Estamos todos com pena, ainda mais que ela terá que usar aqueles cones de plástico pós-cirurgia para não arrancar os pontos por 10 dias.

    Hoje recebemos a visita dos nossos amigos de Rio Preto Rodrigo e Marquinhos. Estávamos falando de viajarmos para São Tomé das Letras e a possibilidade da cidade ter mudado demais para a gente. Já fomos várias vezes para esta cidade do interior de Minas Gerais, mas com o tempo os lugares mudam e a gente também. Talvez não tenha mais a magia de antes. Talvez ainda tenha.

  • Temporada em Rio Preto

    Essa é a igreja da Basílica em Rio Preto, encontrei a foto na internet.

    Essa é a igreja da Basílica em São José do Rio Preto, encontrei a foto na internet.

    Continuo não tirando fotos. É que a gente relaxa quando está ‘em casa’, preguiça pura. Encontro com os amigos, churrasco, muita cerveja e papo em dia.

    Ontem a gente foi em um bar de um amigo meu (Cacaco). A gente se formou junto na Unilago, curso de Publicidade e Propaganda. O bar é o Boemia Butiquim, fica ali na Boa Vista, na Rua Saldanha Marinho.

    Boemia Butiquim. A maioria dos rio-pretenses já deve conhecer este bar.

    Boemia Butiquim. A maioria dos rio-pretenses já deve conhecer este bar.

    Em plena quarta-feira, nem muito tarde, lá pelas 8 da noite, já estava lotado. Música ao vivo com rock ‘ambiente’ nacional-clássico, com baladinhas do tipo Legião Urbana, Capital Inicial, Ira e até Zeca Baleiro. 6 anos fora do Brasil e as músicas boas são sempre as mesmas. Desta forma a gente fica meio ‘eternizada’, é ótimo.

    Foi muito legal rever os amigos, o Cacaco mesmo, é muito legal ver gente conhecida fazendo as coisas acontecer. O bar é um sucesso, bem montado, sempre cheio. A decoração do bar é simples, mas bem interessante, com quadros de bandas e artistas famosos intercalados com caricaturas. Tem um toque de esporte bar também, com mesa de sinuca e quadros sobre futebol.

    O Franky se divertiu muito no bar. Jogou sinuca a noite toda. A sorte é que meus amigos, na maioria, falam inglês. Assim ele não fica tão deslocado. O que ele mais gosta nos bares no Brasi é que são abertos, ao ar livre. Nos Estados Unidos era tudo fechado com ar condicionado, um horror.

    Rio Preto não para de crescer. A avenida Andaló, a mais tradicional avenida dos bares, continua sempre cheia, muito movimentada. Muitos restaurantes novos, principalmente japoneses, e outros. Rio Preto sempre foi considerada uma ótima cidade para sair à noite. Muita gente vem de fora para as famosas baladas rio-pretenses.

    O que eu gosto de cidade ‘pequena’ (mas nem tanto) são os preços das coisas. A cerveja na Vila Madalena, em São Paulo, por exemplo, é bem mais cara. Sem contar nos preços dos supermercados. É uma sorte estar no interior. Tudo é mais fácil e mais barato. Se comparar com os Estados Unidos então, nem se fala.

    Ontem a gente começou a noite na chácara dos meus pais, em Guapiaçu. A Skol de garrafa grande custa R$1,99, geladíssima, ali no boteco da esquina. O único problema é que toda vez que a gente vem para Rio Preto a gente acaba engordando. É churrasco e cerveja direto.

Todas as Viagens

Comentários

  • João Pedro Benacchio: Pessoal não fui eu quem escreveu esse...
  • Gustavo Woltmann: Lindas imagens da cidade. Fui para Balneário...
  • denise: anonimo já diz covarde , ignorante e preconceituoso, vc...
  • Ken: Caracas…. quanto japa!! Fora vcs dois, o resto era tudo...